São Paulo realiza corrida pela inclusão de pessoas com deficiência

Ministra Damares Alves participou da 6ª Inclusão a Toda Prova e falou sobre o desejo de incluir o evento no calendário nacional de Turismo

  • Por Jovem Pan
  • 06/12/2021 07h11 - Atualizado em 06/12/2021 09h46
Reprodução / Instagram @esportividade A corrida pela inclusão de pessoas com deficiência voltou às ruas na região do Ibirapuera, em São Paulo

Depois de um ano paralisada, a corrida pela inclusão de pessoas com deficiência voltou às ruas na região do Ibirapuera, em São Paulo. No evento, a ministra dos Direitos Humanos, da Família e da Mulher, Damares Alves, disse que quer promover uma corrida internacional pela inclusão de pessoas com deficiência. Durante a 6ª Inclusão a Toda Prova, Damares disse que pretende incluir o evento no calendário nacional de Turismo. “A gente quer trazer as pessoas do mundo inteiro para correr na corrida da inclusão, que tenha etapas no Brasil inteira para ser a maior corrida da inclusão. Vai ser muito maior que a São Silvestre.”

O secretário nacional de Paradesporto, José Dantas, destacou a importância da conscientização da luta das pessoas com deficiência. “Estamos com a corrida pela inclusão, que é para despertar o interesse da população em geral para a causa da pessoa com deficiência, para inclusão por meio do esporte”, disse. A ministra Damares Alves e o secretário José Dantas estiveram em São Paulo, acompanhados do ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes. O ministro ressaltou que a pasta trabalha para baratear dispositivos e medicamentos para doenças raras.

“Que nós consigamos, não só trabalhar na ponta do desenvolvimento de tecnologias importantes e no desenvolvimento de medicamentos mais baratas para pessoas que tem doenças raras, mas baratear o custo dos medicamentos. Vi uma mão robótica perfeita, 2 milhão e pouco dólares, a gente precisa baratear esse preço e tornar mais acessível para todas as pessoas”, afirmou. Na última sexta-feira, foi celebrado o Dia Nacional das Pessoas com Deficiência. A data foi criada em 1992 pela Organização das Nações Unidas para reforçar a acessibilidade como princípio básico dos Direitos Humanos.

*Com informações da repórter Nanny Cox