Senadores voltam a pressionar Alcolumbre por sabatina de André Mendonça 

Em sessão da Comissão de Constituição e Justiça, parlamentares questionaram o motivo da arguição ainda não ter sido marcada após dois meses da saída de Marco Aurélio Mello do STF

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2021 08h39 - Atualizado em 23/09/2021 10h45
Roque de Sá/Agência SenadoA reclamação dos senadores é que já se passaram dois meses e Davi Alcolumbre ainda não pautou a análise da indicação ao STF

Senadores cobram agendamento da sabatina de André Mendonça indicado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Durante a sessão na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o senador Fernando Bezerra (MDB) fez um apelo à presidência da mesa. “Queria apelar para esse espírito que Vossa Excelência está possuindo de poder fazer uma indagação do nosso ministro André Mendonça. Vossa Excelência poderia definir a data para apreciação do ministro? Esse é o apelo que lhe faço.”

Já a cobrança feita pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania) foi mais enfática. A partir daí houve bate-boca com o presidente da CCJ, Davi Alcolumbre (DEM). “O senhor tem condição de apontar um único motivo republicano para não fazer o agendamento da sabatina?”, questionou Vieira, que recebeu uma resposta do colega. “Senador, depois que Vossa Excelência se lançou à presidência da República começou com essas frases de efeito”, disse Alcolumbre, que pediu respeito. André Mendonça foi indicado para ocupar a vaga de ministro do Supremo no dia 12 de julho, após a aposentadoria de Marco Aurélio Mello. A reclamação é que já se passaram dois meses e o presidente da CJJ ainda não pautou a análise do caso.

*Com informações do repórter Daniel Lian