Três em cada dez brasileiros sofrem com mau hálito

50 milhões de pessoas sofrem com o problema; número equivale a 30% da população

  • Por Jovem Pan
  • 06/01/2022 07h58 - Atualizado em 06/01/2022 08h48
Banco de imagens/Pexels Higiene bucal Higiene bucal completa e diária evita cáries, mas, ainda assim, não afasta o mau hálito

Você escova os dentes e a língua todos os dias? Passa fio dental? Uma higiene bucal completa e diária evita cáries, mas, ainda assim, não afasta o mau hálito. Cerca de 50 milhões de brasileiros, ou seja 30% da população, sofre com o problema, de acordo com a Associação Brasileira de Halitose. Apenas 1% dos casos de halitose tem como causa questões estomacais, 90% das pessoas tem como agente causador a boca mesmo. Além de ser motivo de vergonha e chacota, o mau hálito é um assunto tabu no Brasil.

A dentista Bruna Conde reforça a importância de conhecer as causas e o tratamento adequado para manter a saúde e a autoestima em dia. “Porque muitas vezes você faz uma correta escovação e, mesmo assim, você vai continua com mau hálito, porque pode vir da sua língua, pode vir de uma baixa salivação, pode ser de uma doença na boca, de um dente que tá começando uma cárie ainda não identificada, uma série de fatores que pode causar, e você precisa de um especialista para poder te orientar melhor sobre isso”, explica. Alguns métodos profissionais para evitar o problema são limpeza uma ou duas vezes por ano e raspagem na língua.

A dentista Bruna Conde explica que grande parte dos seus pacientes não sabiam que sofriam de mau hálito. “Eu tenho casos de pacientes que terminaram casamento por conta de mau hálito. Tenho caso de pessoas que não saem de casa para nada por conta do mau hálito, porque têm medo. Eu tenho pessoas que não praticam atividade física, por precisar estar muito em contato com outras pessoas, e tem vergonha também de falar. Tenho pessoas que perderam empregos, porque tinham que se comunicar com as pessoas e tinham vergonha mesmo do hálito. A gente tem diversos tipos de pacientes assim. Muita gente vezes, eles são indicados por outros, acho legal também quando a gente fala sobre isso, porque a pessoa que tem mau hálito dificilmente vai saber que tem”, pontua.

Em menor proporção, o mau hálito também pode estar relacionado a doenças como diabetes, câncer, problemas renais ou hepáticos, além de prisão de ventre acentuada. Alguns alimentos podem modificar o hálito, como o alho, a cebola, o brócolis, o repolho, a couve, o couve-flor, agrião e aspargos, que são ricos em enxofre. Após diagnosticar o motivo da alteração do hálito e comprovada a origem bucal, o tratamento dura, em média, de 60 a 90 dias.

*Com informações do repórter Victor Moraes