TRF-1 forma maioria para absolver Temer por obstrução de Justiça

Uma das provas usadas era a conversa gravada pelo empresário Joesley Batista, na qual o ex-presidente diz: “tem que manter isso, viu?”

  • Por Jovem Pan
  • 26/08/2020 07h13 - Atualizado em 26/08/2020 07h14
EFE/Chema MoyaTemer foi denunciado em 2017 pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot

O Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1) decidiu, em maioria, pela absolvição do ex-presidente Michel Temer na acusação de obstrução de justiça. O julgamento foi suspenso após um pedido de vista e não há tempo determinado para a retomada da análise. Temer foi denunciado em 2017 pelo então procurador-geral da República Rodrigo Janot. Uma das provas usadas era a conversa gravada pelo empresário Joesley Batista, do grupo J&F, na qual o ex- mandatário diz: “tem que manter isso, viu?”. Para Janot, a fala representava uma tentativa de silenciar o ex-deputado Eduardo Cunha e o operador Lúcio Funaro, ambos presos pela operação Lava Jato.

Após deixar a presidência, Michel Temer perdeu o foro privilegiado,  e o caso saiu do Supremo, passando a tramitar em primeira instância. Em Brasília, a justiça determinou que ele fosse absolvido, sob entendimento de que o diálogo divulgado não indicou nenhum crime cometido por parte de temer. O Ministério Público Federal recorreu da decisão, no entanto, na terça-feira, 25, a maioria dos desembargadores decidiu absolvê-lo. No ano passado, o juiz Marcelo Bretas, do Rio de Janeiro, determinou a prisão de Michel Temer em um outro caso, em que ele foi acusado de ter recebido dinheiro desviado de obras da Usina Nuclear de Angra 3. O ex-presidente ficou preso durante seis dias e logo depois foi liberado.

*Com informações da repórter Camila Yunes