TSE não teme alta na abstenção por receio da pandemia no 2º turno

No domingo, 29, mais de 38 milhões de eleitores voltam às urnas em 57 cidades

  • Por Jovem Pan
  • 28/11/2020 09h39
Tiago Hardman/Futura Press/Estadão ConteúdoA abstenção de 23,14% foi considerada baixa

Neste domingo, 29, mais de 38 milhões de eleitores vão voltar às urnas para eleger prefeitos em 57 cidades de todo o país. Por conta da pandemia, existiu temor dentro do TSE de uma baixa adesão ao processo de votação. Na prática, no entanto, não foi isso que aconteceu. A abstenção de 23,14% foi considerada baixa, de acordo com a secretária-geral do Tribunal, Aline Osório. Ela acredita que as medidas de prevenção tomadas pela Justiça Eleitoral, como a determinação de uso de máscara, foi importante para dar segurança no dia da votação.

“Nós imaginávamos, como vimos ao redor do mundo, que poderíamos ter abstenção mais elevada. Em alguns países ela foi bastante significativa e chegou em mais de 50%, 60% e 70%. Então tínhamos essa preocupação. Mas, para nossa felicidade, os eleitores compareceram em peso”, disse. A votação neste ano começa mais cedo: às 7h. E a Justiça Eleitoral recomenda que o horário até às 10h seja, de preferência, utilizado pelos idosos. Isso não quer dizer, no entanto, que eles terão exclusividade. A ideia é apenas tentar preservar os mais velhos uma vez que estão mais vulneráveis à Covid-19.

As urnas fecham às 17h, mas quem estiver na fila esperando poderá votar sem qualquer problema. A Justiça Eleitoral pede também que cada eleitor leve uma caneta para assinar a ficha de votação. E as mãos devem ser higienizadas antes e depois de votar. O e-Título, que substitui o documento em papel, pode ser usado no momento da identificação. Se houver dúvidas em relação à identidade, o mesário pode pedir que o eleitor abaixe a máscara rapidamente. A Justiça Eleitoral pede também, se possível, que acompanhantes e crianças não sejam levados. E o eleitor não deve permanecer na sessão eleitoral além do tempo necessário para votar.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin