Vazamento de prova, homenagem à Michelle Bolsonaro: saiba como foi o primeiro dia do Enem 2019

  • Por Jovem Pan
  • 04/11/2019 06h42
ESTADÃO CONTEÚDOA segunda etapa do exame será realizada no próximo domingo (10)

O primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019, que aconteceu neste domingo (3), foi um sucesso. Essa foi a avaliação do Ministério da Educação (MEC). A prova foi aplicada em 10.133 localidades, de 1.727 cidades brasileiras. Ao todo, 376 candidatos foram eliminados.

Pela manhã, devido a uma falha operacional nos sistemas de dispositivos eletrônicos que adiantou alguns relógios, o MEC acabou anunciando uma hora antes que os portões tinham sido abertos, mas logo depois corrigiu a informação.

Pouco depois do início da aplicação da prova, circulou nas redes sociais a imagem de uma página da prova. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame, informou que a foto era verdadeira.

Durante coletiva após a realização do teste, o ministro da Educação, Abraham Weintraub afirmou que a Polícia Federal (PF) já investiga a ocorrência. “O impacto do que esse mau elemento, essa pessoa vil fez, o impacto foi zero. Mas é uma pessoa vil. Porque ela não tem respeito, consideração pelos demais seres humanos que estavam naquele dia trabalhando e lutando para fazer uma coisa decente para o futuro. Uma pessoa vil, baixa”, disse.

“Eram três provas. Ele conseguiu as três provas e os códigos, eram de pessoas que faltaram, entendeu? Então provavelmente foi um aplicador. Tudo provavelmente, a polícia que vai afirmar e pegar a pessoa”, continuou. Para Weintraub, houve a intenção de prejudicar a prova.

O ministro também destacou que o exame não teve nada de polêmico nas questões de Linguagens e Ciências Humanas.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, ressaltou a elaboração das perguntas e atribuiu uma das questões a uma homenagem à primeira-dama, Michelle Bolsonaro. “O que eu achei muito interessante, particularmente, é a diversidade de autores que compuseram os temas de referência das questões, mais especificamente a objetividade no comando da questão. Como a gente consegue, pegando elementos, textos de diversas matrizes, produzir questões com comandos bastante técnicos, que não levem dúvidas em relação ao aluno.”

“E faço menção, principalmente, àquela questão da quadrinista surda, que questão bonita que foi aquela. Uma homenagem à nossa primeira dama”, afirmou.

Entre as 90 perguntas, apareceram algumas relacionadas à violência contra as mulheres, ao racismo e ao discurso de ódio.

O coordenador de Ciências Humanas do sistema de ensino COC, Fábio Romano, destacou o tom da prova deste domingo. “Dez questões de história, dez de filiosofia, 11 de geografia, 14 de sociologia. Abordando movimentos sociais, a história, o período imperial, colonial. Não abordando tanto a questão da República como vinha acontecendo nos últimos anos, mas essa é uma possibilidade.”

Para o diretor do Cursinho da Poli, Gilberto Alvarez, a grande diferença do Enem 2019 para os de outro anos foi a proporção de questões relacionadas à história do Brasil. “História, principalmente história do Brasil, teve uma recorrência muito menor do que em anos anteriores. Temas recorrentes, como Era Vargas e o período da ditadura militar no Brasil, nesse ano, não caiu na prova. No geral, foi uma prova muito bem feita, em que se respeitou os estilos e a matriz de referência do Enem. Na comparação com outros anos é que o candidato deve ter sentido mais facilidade, porque foram itens e questões mais diretas, com enunciados curtos e com alternativas também mais curtas.”

O tema da redação do Enem 2019 foi “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”. O mote foi confirmado neste domingo por Weintraub. Segundo o coordenador de Linguagens do Curso Anglo, Sergio Paganim, havia diversas maneiras de elaborar o texto:

“A palavra cinema é polissêmica e a coletânea validou esses dois sentidos. Então fique tranquilo se você desenvolveu um texto mais para o aspecto concreto das salas de cinema, se você desenvolveu  um aspecto mais abstrato sobre arte, sobre cultura. E se as duas coisas estiverem no seu texto, também é muito bem-vindo. O tema, nesse ano, tem uma abertura muito interessante que comporta essas duas leituras”, ressaltou.

Ao todo, 3.920 milhões de inscritos compareceram ao primeiro dia do Enem 2019, que teve abstenção de apenas 23,7%, uma das mais baixas da história do exame.

A segunda etapa será realizada no próximo domingo (10) com as provas de Ciências da Natureza e Matemática. Os gabaritos oficiais serão divulgados no dia 13 de novembro.

*Com informações do repórter Matheus Meirelles