‘Pedir destituição imediata de ministros do STF não fere a democracia’, diz Carlos Jordy

Em entrevista ao Morning Show, deputado definiu detenção de Daniel Silveira como ‘prisão política’ e alegou que Congresso deve interceder por soltura

  • Por Jovem Pan
  • 17/02/2021 13h17 - Atualizado em 17/02/2021 14h42
Michel Jesus/Câmara dos DeputadosDeputado Carlos Jordy afirmou que "não tem medo de ser preso" por determinação do STF

Em entrevista ao programa Morning Show, da Jovem Pan, nesta quarta-feira, 17, o deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ) criticou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que decretou a prisão do parlamentar bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ) na noite desta terça-feira, 16. Atualmente, Silveira é alvo de dois inquéritos na corte, o que apura atos antidemocráticos e o que investiga a propagação de fake news. Sua detenção ocorreu após um decreto do ministro Alexandre de Moraes, que alegou que um vídeo publicado nas redes sociais de Silveira “ataca frontalmente os ministros do Supremo Tribunal Federal, por meio de diversas ameaças e ofensas à honra”, além de “propagar a adoção de medidas antidemocráticas contra o Supremo Tribunal Federal, defendendo o AI-5”. “Trata-se de uma prisão política. Alexandre de Moraes está se vingando de Daniel Silveira, que sempre se colocou como um crítico ferrenho do STF. Com a detenção de Silveira, os ministros da Corte estão tentando mostrar aos bolsonaristas que mandam na estrutura dos três poderes, mas não é assim. Agora, o Legislativo precisa demonstrar sua força, deixar claro que possui o mesmo tamanho do Judiciário e anular essa prisão”, disse Carlos Jordy.

Já que critica a detenção de Daniel Silveira por entendê-la como um ato antidemocrático praticado pelo STF, Jordy foi questionado, durante a entrevista, sobre suas falas que defendem o AI-5 e demonstram apoio ao fechamento do Supremo – posições que desencontram o regime democrático brasileiro. “Já falei inúmeras vezes que basta um cabo e um soldado para fechar o Supremo, mas digo isso porque estou de saco cheio dos ministros que julgam-se deuses, que acreditam que o STF tem mais poder do que os outros poderes. Quando digo estas coisas, não significa que quero o fechamento da Corte. Não sou contra o STF como uma instância de poder, mas me oponho aos onze ministros que envergonham o Judiciário brasileiro. Pedir a destituição imediata dos ministros não fere a democracia, sou contra os verdadeiros ditadores de toga”, afirmou.

O deputado bolsonarista alegou ainda que o Congresso deve se mobilizar para anular a prisão do colega de partido. “Se um deputado, que é representante do povo, está sendo preso por fazer críticas ao STF, imagina a repressão que pode acontecer contra o cidadão comum. Precisamos reverter isso, não podemos permitir que o Judiciário continue a solapar a figura do Legislativo. No plenário, devemos mostrar que esse tipo de interferência desrespeita o Congresso. Não tenho medo de ser preso, mas tenho um certo receio porque Alexandre de Moraes está usando o Judiciário como sua própria instituição punitiva.” Já que a prisão de Daniel Silveira foi determinada por uma decisão provisória, será submetida aos demais ministros do Supremo. Segundo Luiz Fux, presidente da Corte, o caso deve ser levado à Câmara dos Deputados ainda nesta quarta-feira, 17.

Confira na íntegra a entrevista com o deputado Carlos Jordy: