‘Votamos, colocamos o cara lá e só depois vemos a merd* que fizemos’, diz Eduardo Costa

Em entrevista ao Morning Show, o cantor afirmou que ‘o pessoal da esquerda é mais corajoso’; durante as eleições presidenciais de 2018, o sertanejo apoiou o então candidato Jair Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2020 12h52
Imagem: Reprodução/Morning ShowO cantor sertanejo Eduardo Costa usou as redes sociais para se posicionar politicamente nas eleições presidenciais de 2018

Em entrevista ao programa Morning Show, da Jovem Pan, nesta quarta-feira, 16, o cantor Eduardo Costa revelou que está mais moderado politicamente. Durante as eleições presidenciais de 2018, o sertanejo usou as redes sociais para se posicionar, declarando apoio ao então candidato e atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido). “Hoje eu não apoio ninguém, só quero ver meu país melhor. Naquela época eu saí da casinha porque estava revoltado com a situação do país. Coloquei para f*der nas minhas redes, comecei, inclusive, a falar de política de uma forma agressiva. Percebi que conseguimos eleger um político usando nossa influência como artista, mas não conseguimos tirá-lo de lá”. Com cerca de 6,2 milhões de seguidores no Instagram em 2018, Eduardo Costa pediu a seus seguidores que votassem em Bolsonaro na disputa pela cadeira presidencial. Uma foto ao lado de Eduardo Bolsonaro, outra abraçando a bandeira do Brasil e um clique vestindo uma camiseta estampada com o rosto de Jair Bolsonaro estão entre as publicações polêmicas de sua conta.

Durante a conversa, o artista também afirmou que precisou “analisar de forma inteligente” o cenário político para compreender os diferentes posicionamentos ideológicos. “Ninguém acorda simplesmente e se torna de direita, de esquerda ou de centro. Cada pessoa tem suas particularidades e motivos para pensar de determinada forma. É muito triste ver que eu tentei transformar a minha opinião em realidade, a discordância política é maravilhosa. Através desta minha reflexão, comecei a gostar de algumas coisas da esquerda. Por exemplo, o pessoal da esquerda é mais corajoso, tem mais peito, é um pessoal que chega e faz. O povo da direita também tem suas qualidades. Precisamos buscar o melhor para o Brasil porque nosso povo paga um preço muito caro por votar mal. Isso não significa que eu voto bem. Votamos, colocamos o cara lá e só depois vemos a merd* que fizemos”, concluiu.

Confira a entrevista com o cantor Eduardo Costa: