Caso Henry Borel: Especialista em expressão corporal vê traços de desprezo em falas de Monique

Segundo Carol Portilho, comparando os momentos das prisões, mãe de Henry parecia menos emocionada do que Ana Carolina Jatobá, madrasta de Isabella Nardoni

  • Por Jovem Pan
  • 19/04/2021 18h01 - Atualizado em 21/04/2021 12h48
Imagem: Reprodução/Instagram @henryborelmedeirosPerita analisou entrevista dada por Monique e registro dela no momento da prisão

O programa “Mulheres Positivas“, da Jovem Pan, desta segunda-feira, 19, apresentado por Fabi Saad e Nana Feller, trouxe duas especialistas para falar sobre os detalhes do caso Henry Borel, menino de quatro anos morto no último dia 8 de março no Rio de Janeiro: a especialista em linguagem corporal e perita em microexpressões Carol Portilho, e a advogada criminalista e especialista em direito penal Roselle Soglio. Monique Medeiros, mãe de Henry e namorada do vereador Dr. Jairinho, suspeito de matar o menino, deixou de ter defesa conjunta com o político e passou a ser representada por um trio de advogados, que agora aponta que ela era vítima de violência doméstica. Para Roselle, trocar de defesa é um direito da professora, mas ela ainda precisará relatar à polícia possíveis fatos que teria omitido no primeiro depoimento. “Isso não quer dizer que ela não vá ser responsabilizada pela morte da criança, nem muito menos que vá passar a ser vítima ao invés de acusada”, pontuou. Segundo Soglio, a defesa da mãe do menino deve instruí-la a falar a verdade, e a declaração dela é essencial para entender as nuances do interior do relacionamento, já que há poucas testemunhas em um caso como esse.

A advogada lembrou que o casal está preso de forma temporária e explicou que um novo depoimento por parte de Monique pode dar mais embasamento às investigações policiais para um veredito sobre o crime. “Vai depender muito do que ela trouxer nos novos dias.” Já a especialista Carol Portilho observou Monique e Jairinho na única entrevista dada pelo casal à imprensa e disse que, pela análise das microexpressões, é possível perceber uma série de mentiras contadas por eles. “O que me chamou muito a atenção não foi só a postura de mentira, mas a expressão de desprezo da mãe, esse desejo pela superioridade que ela tinha o tempo todo. O medo extremo que o padrasto estava naquela entrevista… Então não foram só as mentiras, mas também as emoções que eles demonstraram”, afirmou. “Uma mãe que acabou de perder o filho fazendo desprezo para falar da morte do filho?”, questionou.

Segundo ela, as pálpebras e pupilas do vereador também emitiram sinais de que ele estava com medo, uma emoção incongruente com a situação. A especialista também apontou momentos de afastamento verbal da mãe ao falar da relação com o filho e alterações na frequência de voz dela ao dar explicações sobre o crime. Portilho também analisou imagens do momento da prisão de Monique, e disse que ela parecia pouco emocionada, comparando ao momento da detenção de Ana Carolina Jatobá, madrasta de Isabella Nardoni. “Ela ainda demonstrava mais emoção, mais desespero, mais tristeza… E a mãe [de Henry] não demonstrava essa emoção. Eu consegui ver mais emoção naquela madrasta que chocou tanto a gente.”

A advogada Roselle Soglio afirmou, no entanto, que as reações de Monique também podem ter sido provocadas por um espécie de “fuga da situação”. “Casos iguais ao do Henry acontecem aos montes e só não são divulgados. Todos os dias a gente têm milhares de casos de violência contra crianças, contra adolescentes, mas não só isso como há muitos anos eu dou aula de criminologia e estudo esse comportamento. Muitas vezes a gente já pré-julga a pessoa. Não estou fazendo a defesa da mãe da criança, estou dizendo que a gente pré-julga. Muitas pessoas têm um elemento de fuga, e esse elemento de fuga é dizer ‘não quero acreditar que ele morreu, então não quero falar sobre ele’. Então talvez na entrevista que ela tenha dado, quando pergunta sobre o Henry, ela não quer esse afastamento, ela quer dizer ‘eu ainda sou mãe dele'”, explicou.

Confira o programa “Mulheres Positivas” desta segunda-feira, 19, na íntegra: