Augusto Nunes: ‘O que chamam de segunda onda é a recidiva da abertura do comércio’

Comentarista criticou o biólogo Átila Iamarino, que insinuou que o ano de 2021 pode ser pior do que 2020 em relação à Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 12/11/2020 22h04 - Atualizado em 12/11/2020 22h06
REUTERS/Guglielmo MangiapaneApesar dos alto número de novos casos, alguns países ainda tem registrado baixo índice de mortes

O biólogo Atila Iamarino disse, nesta quinta-feira, 12, que o ano de 2021 pode ser pior do que 2020 em relação à Covid-19. Segundo ele, o Brasil deve viver uma segunda onda da doença, assim como ocorre na Itália e no Reino Unido. “Então se você conta com a data mágica de janeiro de 2021 pra achar que a COVID vai embora, se previna. Podemos (devemos) ter que fazer mais isolamento ano que vem. Mas começamos o ano bem mais quebrados e cansados. E com os profissionais de saúde já destruídos e sequelados”, escreveu o pesquisador no Twitter. Para o comentarista Augusto Nunes, do programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, “o que chamam de segunda onda é uma recidiva da reabertura do comércio”.

“Até bebê de colo sabe que o que estão chamando de segunda onda é uma recidiva que você tem quando ocorre a abertura do comércio, indústria, quando retoma a atividade econômica. Mais gente sai as ruas, mais gente se contamina. A letalidade baixíssima eles não falam. Não tem leito faltando em lugar nenhum, só sabem fazer o tal lockdown”, afirmou. Apesar dos alto número de novos casos, alguns países ainda tem registrado baixo índice de mortes. No entanto, a Itália teve mais 636 mortes nesta quinta, maior número para um único dia desde 4 de abril, quando foram contabilizados 681 óbitos. Augusto ainda criticou Iamarino e as suas previsões, que incluíam a marca de um milhão de mortos pela Covid-19 no Brasil até agosto. “O Átila Iamarino deve estar trancado dentro de casa de máscara, lavando roupa. Ele precisa chegar ao um milhão que ele previu, não faz lobby da vacina, porque a vacina imuniza. Ele vai ter que sair na rua matando gente”, disse o comentarista.

Assista ao programa na íntegra: