‘Autoridades entenderão que nenhum Poder está acima de outro’, afirma Ricardo Barros

Em entrevista ao programa Os Pingos Nos Is, da Jovem Pan, o deputado federal falou sobre as expectativas para o ato e quais serão as pautas dos manifestantes

  • Por Jovem Pan
  • 06/09/2021 20h15
Michel Jesus/ Câmara dos DeputadosBarros disse ainda que manifestação do dia 7 de setembro será 'pacífica e ordeira'

Em entrevista ao programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, desta segunda-feira, 6, o líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR) falou sobre suas expectativas para o ato de 7 de setembro, afirmando que as manifestações servirão para empoderar o discurso de Bolsonaro e que mostrarão para as autoridades que nenhum Poder está acima do outro. “Esse apoio está ligado às bandeiras e ideias que o presidente Bolsonaro carrega consigo em seu discurso e na sua conduta. É isso que nós veremos amanhã: uma grande manifestação popular pacífica, ordeira e de empoderamento ao discurso do presidente Bolsonaro para demonstrar que o povo brasileiro entende as preocupações do presidente e sua narrativa em relação aos valores da família e às preocupações sobre a harmonia e independência dos poderes. Essa manifestação tem esse condão de trazer muita gente para a rua. […] Tenho certeza de que o Brasil vai entender com clareza a mensagem e, não só os brasileiros, mas as autoridades compreenderão que é preciso harmonia, independência e pacificar o país. Nenhum poder pode estar acima de outro. É o que diz a Constituição”, afirmou Barros na entrevista.

Os grupos que pretendem ir às ruas no dia 7 de setembro para defender a democracia e a liberdade se anteciparam e desembarcaram  em Brasília já no fim de semana. Os acampamentos foram montados em dois locais diferentes da capital federal e alguns simpatizantes ostentam faixas de apoio ao presidente Jair Bolsonaro e críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF). Apoiadores estacionaram ônibus, trailers, motocicletas, carros e armaram barracas nos locais para aguardar a manifestação. Nas últimas semanas, a relação entre os Poderes, em especial entre Judiciário e Executivo, se estremeceu após declarações de Bolsonaro contra os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso. O presidente chegou a protocolar o pedido de impeachment de Moraes, mas o documento foi arquivado pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Desde então, figuras políticas e representantes do meio privado vêm tentando estabelecer diálogo entre os Poderes, no intuito de amenizar a crise política que atinge o país.

Confira a íntegra do programa desta segunda-feira, 6: