‘Não somos negacionistas’, diz Bia Kicis sobre projeto que torna opcional vacinação contra a Covid-19

Deputada é a primeira parlamentar a protocolar um PL que retira a obrigatoriedade do imunizante; segundo ela, a preocupação é por não ter evidência científica: ‘É um experimento’

  • Por Jovem Pan
  • 26/10/2020 20h23 - Atualizado em 26/10/2020 20h27
Jovem Pan"Vamos deixar que as pessoas decidam de acordo com o seu discernimento se querem ou não tomar", afirmou a parlamentar

Primeira parlamentar a protocolar um projeto de lei para retirar a obrigatoriedade da vacina contra a Covid-19, a deputada federal Bia Kicis (PSL) afirmou, em entrevista ao programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, nesta segunda-feira, 26, que “não faz parte de um movimento negacionista ou anti-vacina”. Segundo a parlamentar, a preocupação sobre o imunizante contra o coronavírus é por não ter evidência científica, ou seja, se tratar de um “experimento”. “Vamos deixar que as pessoas decidam de acordo com o seu discernimento se querem ou não tomar. Não é um movimento negacionista, anti-vacina, eu tomei todas quando era criança, meus filhos também, mas já sabemos os riscos dessas. A da Covid-19 é um experimento, e ninguém deve ser obrigado a se submeter a isso”, alegou Bia.

De acordo com a deputada, ela ainda está recolhendo assinaturas para levar o requerimento adiante. “Espero que os parlamentares tenham a visão que essa postura é arbitrária e ditatorial, que não há nada que verse sobre a obrigatoriedade no Código Civil”, afirmou a parlamentar. Bia também tem uma proposta para acabar com a obrigação do uso de máscaras. “Não tem comprovação científica da sua eficácia. Pessoas saudáveis são obrigadas a usar essa ‘focinheira’, já percebemos que estão muito cansadas. Precisamos retirar a obrigatoriedade e deixar as pessoas serem mais livres sobre as suas escolhas”, disse a deputada.

Briga entre Salles e Ramos

Após o ministro do Meio AmbienteRicardo Salles, pedir desculpas ao general Luiz Eduardo Ramos por chamá-lo de “Maria fofoca”, Bia Kicis confirmou que eles “já estão em paz”. “A gente não achou bacana sair na mídia alguma fala do ministro Ramos atacando o Salles, imputando condutas que ele não havia tomado. Somos amigos, conhecemos o ministro e reconhecemos o trabalho excepcional que ele faz. Sabíamos que ele não tinha mandado retirar verba de incêndios, era preciso que manifestássemos nosso apoio a ele. A situação já foi contornada, já estão na paz. Ricardo me ligou para dizer que tinham se acertado e vamos para frente, não vale a pena levar adiante esse tipo de intriga”, afirmou a deputada.