‘Entrada do Brasil na OCDE faz todo sentido para a organização’, diz Ernesto Araújo 

Em entrevista ao programa Os Pingos nos Is, chanceler disse esperar que o ingresso brasileiro no órgão seja defendido apesar da derrota de Donald Trump nas eleições presidenciais

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2021 19h40
FÁTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOMinistro das Relações Exteriores disse que Brasil está adotando todos os procedimentos cabíveis a países não-membros

Apesar da mudança do governo dos Estados Unidos, onde o democrata Joe Biden venceu Donald Trump nas eleições presidenciais, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, diz esperar que os membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) continuem apoiando a entrada do Brasil no órgão. Em entrevista ao programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, Araújo afirmou que o eventual ingresso do país consolidará o compromisso com um modelo econômico liberal. “Como o novo governo americano vem com essa ideia de promover o modelo democrático, continua fazendo todo sentido o apoio ao Brasil. Para nós faz inteiro sentido”, disse.

“A candidatura brasileira à OCDE faz todo sentido para a OCDE, não apenas para o Brasil. Esperamos que essa lógica continue sendo vista pelos membros atuais, não só pelos Estados Unidos, mas por todos os países, porque o Brasil é uma das 10 maiores economias do mundo. Ingressar na OCDE significa que estamos nos consolidando dentro de um determinado modelo econômico, de economia aberta, economia de mercado. Isso reforça esse bloco econômico, referência dentro desse modelo de economia aberta e democracia liberal. Como o novo governo americano vem com essa ideia de promover o modelo democrático, continua fazendo todo sentido o apoio ao Brasil. Para nós faz inteiro sentido. Continuamos no processo de incorporar todos os instrumentos que podem ser incorporados por um país não-membro, a gente já vai adotando a OCDE como referência das mais diversas áreas, mesmo ainda não tendo a obrigação de fazê-la. A parte do meio ambiente, ser membro da OCDE significa adotar toda uma série de parâmetros ambientais muito rígidos, rigorosos. Quem se importa com essa dimensão vê o Brasil chegando na OCDE como uma coisa boa, que vai aprofundar nossos compromissos na área ambiental. Tanto a parte econômica, da governança democrática e na parte ambiental, em todas essas frentes, para a organização, faz sentido essa intenção do brasil em entrar”, afirmou.