Em aceno ao mercado, Bolsonaro muda discurso sobre Petrobras e elogia Guedes

Presidente adota tom menos beligerante e afirma que Castello Branco é um ‘bom gestor’

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2021 19h05 - Atualizado em 23/02/2021 23h04
Gabriela Biló/Estadão ConteúdoPresidente elogiou postura de Guedes durante o combate à pandemia do novo coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mudou o tom ao falar sobre a Petrobras nesta terça-feira, 23, ao afirmar que não quer brigar com a estatal e que as mudanças no comando devem trazer transparência na política de preços. A empresa perdeu R$ 75 bilhões em valor de mercado apenas nesta segunda-feira, 22, com a debandada de investidores após a intervenção de Bolsonaro na sua gestão. Na sexta-feira, 19, o presidente anunciou a troca de Roberto Castello Branco pelo general Joaquim Silva e Luna após uma série de reajustes nos preços da gasolina e do diesel. A aversão do mercado fez os papéis da empresa recuarem mais de 20%. “Energia é uma coisa extremamente importante para nós. Nós não temos uma briga com a Petrobras, nos queremos, sim, que ela possa nos dar transparência e previsibilidade. Não precisamos esconder reajustes ou seja lá o que for o que integra o preço final dos combustíveis”, afirmou. O presidente também reclamou da imprensa e ironizou o derretimento dos papéis. “Eu queria cumprimentar a todos aqueles que não se deixaram levar pelas falácias da mídia, que a Petrobras já recuperou 10% no dia de hoje. As acusações [de intervenção], como sempre, infundadas, duraram poucas horas.”

Bolsonaro também chamou Castello Branco de “bom gestor”, contrastando com a série de críticas que fez ao presidente da estatal nos últimos dias. Em um discurso muito menos beligerante, o presidente exaltou Silva e Luna e o trabalho que o general desenvolveu à frente da Itaipu Binacional. “É natural, quando se tem um contrato, se tem um prazo para acabar o mandato, ele seja reconduzido ou outro seja colocado no seu lugar. Saiu um bom gestor, e está entrando um outro, excelente gestor”, afirmou Bolsonaro durante a abertura de um evento que reúne prefeitos de todo o país em Brasília.

Em aceno ao mercado financeiro, Bolsonaro também fez questão de elogiar o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmando que o chefe da equipe econômica foi “uma das pessoas mais importantes” no combate à pandemia do novo coronavírus. A demonstração de que as relações entre o ex-capitão e o Posto Ipiranga seguem firmes ocorre em meio ao crescimento da desconfiança dos investidores na mudança da política econômica e o desgaste de Guedes no governo. “Obviamento, por ser um homem que decide as finanças do governo, ele [Guedes] tem amigos e opositores, mas todo mundo, a todos, ele tratou com muita galhardia”, disse.