Fiuza: Lewandowski não tira relatoria de Renan pois ambos adoram o ‘deus salafrário’ que é Lula

Decisão do ministro do STF foi tema de debate entre comentaristas do programa ‘Os Pingos Nos Is’ nesta quinta-feira, 29

  • Por Jovem Pan
  • 29/04/2021 18h56 - Atualizado em 29/04/2021 19h19
Waldemir Barreto/Agência Senado - 10/02/2021Opositor do governo federal, o senador Renan Calheiros será o relator da CPÌ da Covid-19

Com a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, de manter o senador Renan Calheiros na relatoria da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19, a CPI decidiu nesta quinta-feira, 29, convocar o ministro da Saúde Marcelo Queiroga e os ex-titulares da pasta Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello. A sessão que definiu o cronograma dos trabalhos da comissão aprovou 310 requerimentos e também solicitou a chamada do diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres. De acordo com o calendário, Mandetta e Teich devem comparecer para prestar esclarecimentos a partir das 10h da próxima terça-feira, 4. No dia seguinte, será a vez do ex-ministro Eduardo Pazuello. A oitiva com Marcelo Queiroga e Barra Torres está prevista para a próxima quinta-feira, 6. A CPI vai requerer ao Ministério da Saúde os processos administrativos sobre a aquisição de vacinas e insumos contra o coronavírus. O presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), avalia que os trabalhos devem indicar soluções para o combate ao vírus.

“A CPI quando trata de desvios de recursos, corrupção, na hora que ela começa a investigação estanca. As pessoas que estão envolvidas saem de cena, não querem conversar uma com a outra. O vírus está se lixando para o início da CPI, ele vai continuar atingindo as pessoas”, afirmou. Aziz disse que espera que as informações repassadas à CPI ajudem os parlamentares nas oitivas. De acordo com o senador Randolfe Rodrigues (Rede), órgãos estaduais e municipais têm de enviar documentos em cinco dias. Durante sessão, o senador Marcos Rogério (DEM-RO) solicitou que a comissão fosse 100% presencial alegando que “todas as providências são comprometidas, se não inviabilizadas” sem testemunhas e indiciados depondo presencialmente. O pedido dele não foi aceito pela Comissão.

O comentarista do programa “Os Pingos Nos Is”, da Jovem Pan, Guilherme Fiuza, está certo de que o objetivo da CPI contra a Covid-19 é “montar um picadeiro político” no momento em que o Brasil precisa voltar as energias à” recuperação de uma crise sem precedentes”. Para ele, essa é uma CPI que “nasce desmoralizada e atrasa a celeridade de processos importantes no combate à pandemia”. “Evidentemente que o Lewandowski não vai tirar o Renan Calheiros da relatoria porque eles são adoradores do mesmo deus salafrário Luiz Inácio da Silva”, afirmou. Ele disse, ainda, que a CPI terá relevância apenas se entrar no êxito de investigação, algo que já é feito por instâncias como o Ministério Público e a Polícia Federal. “Essa CPI é um absurdo. Acho que o país não deve dar a audiência de picadeiro que ela pretende”, pontuou.

Confira o programa “Os Pingos Nos Is” desta quinta-feira, 29, na íntegra: