‘Sapateia sobre o sofrimento da população’, diz Fiuza sobre Rui Costa

Comentarista do programa Os Pingos Nos Is avalia que governador da Bahia está usando tragédia das chuvas para fazer politicagem

  • Por Jovem Pan
  • 30/12/2021 20h17
EDUARDO MATYSIAK/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO governador da Bahia, Rui costa, em foto de busto, olhando para a frente. Homem branco de camisa social azul e terno cinza Rui Costa, governador da Bahia, afirmou que Estado aceitará ajuda de quaisquer países que oferecerem, sem se importar com posição diplomática do Itamaraty

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), afirmou nesta quinta-feira, 30, que vai aceitar ajuda de outros países para as cidades afetadas pelas enchentes mesmo sem a aprovação do governo federal. A declaração ocorreu após o presidente Jair Bolsonaro (PL) dispensar ajuda humanitária oferecida pela Argentinao presidente justificou que a ajuda teria um custo alto e equipes do exército e da defesa civil baiana já estariam fazendo o trabalho dos profissionais argentinos que viriam para a área afetada pelas chuvas. O embaixador argentino no Brasil, Daniel Scioli, disse que a resposta do governo brasileiro à oferta estava sendo distorcida, que seria aceita em caso de necessidade, e que a situação não afetaria a relação entre os dois países. A atitude do governador baiano foi analisada no programa Os Pingos Nos Is, da Jovem Pan News, e foi criticada pelo comentarista Guilherme Fiuza.

“Os vilões da história a gente já sabe quais são, os de sempre. Esse Rui Costa eu não lembro de ter visto alguém parecido na política brasileira, ele sapateia sobre o sofrimento da população do seu Estado. Ele se aproveita de uma enchente para mostrar que não tem coração, que tem coração de lata. Ele não tem comiseração. Ele faz porque é uma encenação, uma brincadeira de mau gosto. ‘Aceitaremos ajuda da Argentina contra o presidente malvado’, ninguém acredita nisso. A Argentina está numa situação falimentar, caindo pelas tabelas. Qualquer espírito solidário sempre é bem-vindo, mas todos que têm discernimento sabem que a Argentina é um país em profundas dificuldades internas. Nós queremos solidariedade real, não queremos fazer uma sobrecarga em cima da Argentina que tem problemas muito sérios. Esses políticos, tipo o Rui Costa, não estão nem aí pra nada disso, eles inventam pegadinhas. Um ser como o Rui Costa, que não tem nenhuma sensibilidade para aqueles que ele governa, ele age assim e agirá assim. É isso que se espera dele”, criticou o comentarista.

Confira a edição do programa Os Pingos Nos Is desta quinta, 30, na íntegra