Joice Hasselmann rebate acusações contra marido em caso de agressão: ‘Não vou admitir essa distorção patética’

Em entrevista ao Pânico, a parlamentar esclareceu a linha do tempo do acidente e se disse surpresa com as reações: ‘Gente dizendo que deveria ter sido surrada até a morte’

  • Por Jovem Pan
  • 23/07/2021 14h03
Reprodução/SBTJoice Hasselmann deu uma entrevista exclusiva ao programa Pânico sobre seu caso de agressão

Nesta quinta-feira, 22, Joice Hasselmann (PSL-SP) veio a público denunciar suposto atentado que sofreu no último sábado, 17, em Brasília. Embora as autoridades ainda não saibam o que de fato aconteceu na noite do incidente, a deputada suspeita que tenha sido vítima de uma invasão domiciliar seguida de agressões físicas. Hoje, em entrevista ao Pânico, Hasselmann comentou sobre a reação da internet e as acusações contra seu marido, que, segundo ela, estava dormindo durante o incidente. “Daniel veio me prestar primeiros socorros, ele dorme em outro quarto por questões muito simples: não dá pra dormir com ele, ele ronca igual um animal, desde que a gente casou dormimos assim porque senão dá divórcio. Fizeram algumas relações com meu marido, isso é patético. É muito mais fácil eu dar uma ‘traca’ nele que qualquer outra coisa. Eu não vou admitir essa distorção das coisas, porque se trata de um crime grave.”

Joice esclareceu que só descobriu a gravidade após a realização de exames, mas, de início, não imaginava que havia ocorrido tantas fraturas e baques: “Acordei às 7h03 da manhã, arrastei pra pegar o telefone, ligar para o meu marido e pedir socorro numa poça de sangue. Como eu estava de bruços, com um monte de dente quebrado e sangue no chão, o que passou pela minha cabeça foi que havia desmaiado, tido um mal súbito, um AVC ou um princípio de infarto. Na segunda, quando comecei a abrir a boca, nós já procuramos o buco maxilo porque eu pensei que o problema estava só na boca. Pensei que eu tivesse caído e me machucado, e ponto final. Fiz um exame no buco e ele disse que havia alguma coisa errada. Liguei pro doutor Khalil, relatei o que aconteceu e ele me disse pra fazer uma tomografia. Aí, sim, a suspeita de que alguém pudesse ter invadido minha casa. Isso aconteceu depois dos exames, porque na tomografia de face ficou constatado cinco fraturas e mais uma fratura na coluna, então, para conseguir isso com uma queda, eu teria que ter caído de maneira diferentes várias vezes, como é que eu não vou lembrar de várias quedas? E aí, na primeira lavagem de cabelo, a gente viu um galo na cabeça, quase do tamanho de um pedaço de laranja.

A deputada eleita por São Paulo ainda comentou sobre a repercussão que o caso teve nas redes sociais, afirmando estar chocada com pessoas que desejaram sua morte. “Estou muito grata a pessoas que foram tão solidárias ao que aconteceu. A própria Câmara, a Bancada Feminina emitiu uma nota de solidariedade. A Gabi Mansur, do Justiça de Saias, inclusive está vindo aqui hoje para que possamos fazer uma denuncia no Conselho Nacional do Ministério Público da Justiça e acionar todos os órgãos que possam investigar isso, que até agora tá uma coisa bastante inexplicada. Por outro lado eu também estou muito surpresa com tamanha maldade de tanta gente. Gente que diz que foi pouco, que deveriam ter m matado e me surrado até a morte.”

Joice Hasselmann não descarta nenhuma possibilidade, mas afirma ter ido atrás de registros em câmeras. “Ninguém viu nada, nem os seguranças, que serão oficialmente inquiridos. É muito estranho que não tenha câmera de segurança nos fundos e nas escadas, é uma coisa surreal. Tem câmeras em baixo, eu pedi as imagens. Não roubaram nada, eu estava com a bolsa solta, tinham joias que usei no dia, não levaram nada. Eu mandei trocar todas as fechaduras. Como esse imóvel é público, na Câmara tem um departamento que tem acesso às chaves. Imediatamente, mudei sem avisar. Vou colocar fechaduras com digital. Mas só isso é muito pouco, tem que descobrir o que aconteceu. Quebraram a minha coluna. O apartamento é antigo e grande, não teve luta, se eu tivesse acordada, eu poderia até apanhar, mas eu iria bater. Não dá pra descartar nenhuma possibilidade. Tem que investigar, e eu vou colocar todas as polícias em cima disso. Cedo ou tarde, a coisa vai aparecer.”

Confira a entrevista com Joice Hasselmann: