‘Pedir desculpa para quem quer seu sangue tem efeito contrário’, desabafa Monark

Em entrevista ao Pânico, influenciador explicou por que se arrepende da retratação em caso de apoo a criação de partido nazista

  • Por Jovem Pan
  • 07/06/2022 18h15
Reprodução/Jovem Pan News Telado Pânico dividida com Emílio à esquerda e Monark à direita Monark falou sobre cancelamento e liberdade de expressão no Pânico

Em sua participação no Pânico desta terça-feira, 7, Monark também explicou o motivo pelo qual se arrepende de ter pedido desculpas na ocasião em que defendeu a criação de um partido nazista no Brasil. Segundo ele, seu pronunciamento aumentou a repercussão negativa de seu comentário. “Me arrependi de pedir desculpas porque, infelizmente, pedir desculpa para uma turma de pessoas que querem o seu sangue e querem que você morra, tem um efeito contrário do que a gente imagina que deveria ter”, disse. “Aumentou a sanha e a sede de sangue das pessoas de me cancelarem, né? E de tentarem destruir minha vida… Por isso eu me arrependo. Acho que eu deveria ter explicado o meu ponto em vez daquele pedido de desculpa.”

O episódio aconteceu no último dia 7 de fevereiro, durante a gravação do Flow Podcast que tinha os deputados federais Kim Kataguiri (União Brasil-SP) e Tabata Amaral (PSB-SP) como convidados. Em determinado momento, Monark disse que o Brasil “tinha que ter um partido nazista reconhecido por lei”, sob argumento de que a opinião de ninguém deve ser tolhida, por mais radical que seja. A controversa opinião afastou patrocinadores e culminou na saída do influenciador do Flow, podcast do qual ele é cofundador. Apesar do pedido de desculpas, o YouTube proibiu que Monark monetize qualquer vídeo na plataforma.