Vice-governador de SP sobre protestos na Alesp: ‘Não eram funcionários públicos, eram baderneiros’

Rodrigo Garcia, vice-governador de São Paulo, foi o convidado do Pânico nesta quarta-feira (4)

  • Por Jovem Pan
  • 04/03/2020 13h29 - Atualizado em 04/03/2020 13h46
Jovem PanRodrigo Garcia, vice-governador de São Paulo, foi o convidado do Pânico nesta quarta-feira (4)

O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), afirmou, em entrevista ao Pânico nesta quarta-feira (4), que a confusão na Assembleia Legislativa de São Paulo durante a votação da reforma da Previdência, nesta terça-feira (3), foi causada por “baderneiros”.

“Aquilo lá não era funcionário público, era baderneiro”, disse Garcia. A reforma foi aprovada em segundo turno pelos deputados estaduais, apesar dos distúrbios na Alesp.

Para Rodrigo Garcia, a reforma vai aliviar o orçamento do estado. “A conta chegou, era necessário ter essa reforma”, explicou, ressaltando que as novas regras só afetam o funcionalismo público. “Essa reforma estica cinco anos de trabalho para todo mundo. As pessoas estão vivendo mais, precisam trabalhar um pouco mais.”

Chuvas

Também na entrevista, o vice-governador falou sobre as fortes chuvas que atingiram a Baixada Santista nesta semana. Pelo menos 21 pessoas morreram em Guarujá, Santos e São Vicente.

“Temos que tornar as cidades mais resilientes”, disse Garcia. Ele lembrou das chuvas que atingiram São Paulo no começo do mês e disse que a cidade se recuperou rapidamente por ser resiliente. “O estrago você reforma, o problema é a morte.”

Privatização

O vice-governador também falou sobre as privatizações de estatais paulistas. Ele disse que o plano do governo é diminuir o estado, mas com cautela. Por isso, ainda não há uma resposta sobre a privatização da Sabesp.

“Para vender a Sabesp, precisa ter o marco regulatório do saneamento, vai dar valor de mercado maior ainda”, explicou. “Não tem estatal boa, tem que ter estatal eficiente, a Sabesp é uma dessas. Na mão da iniciativa privada, ela vai melhorar”, continuou Garcia.

Na área dos transportes, Rodrigo Garcia disse que o governo vai abrir no meio do ano leilões para a concessão das linhas 8 e 9 da CPTM. O plano é também retomar as obras da linha 6 do Metrô. “A linha 6 estava parada e agora uma construtora internacional comprou”, disse. Ainda não há previsão de entrega das novas linhas do Metrô.