Latino dá detalhes de clipe sobre dominação feminina gravado com Marina Ferrari

Cantor também falou sobre suas indicações de participantes para ‘A Fazenda’ e sobre período da infância e em que dormia na rua

  • Por Jovem Pan
  • 23/11/2020 13h20
Reprodução/Instagram/latinoLatino vai lançar a música 'Deu Vontade' em dezembro

O cantor Latino se prepara para lançar uma nova música que promete ser um dos hits do verão. Chamada Deu Vontade, a faixa será lançada no dia 4 de dezembro e contou com a participação do DJ Dennis e do cantor Cantini. A música fala sobre empoderamento feminino e, em entrevista ao Tô na Pan desta segunda-feira, 23, o cantor falou que queria uma mulher imponente para protagonizar o clipe e, por isso, convidou a influenciadora digital Marina Ferrari. “Ela se mostrou uma verdadeira atriz”, comentou o artista que quer transmitir com o novo trabalho que “quando dá vontade na mulher, ela pode fazer o que ela quiser”. A música mistura bossa nova com funk e traz como protagonista uma mulher dominadora. “No clipe, ela me leva para o quarto do pânico e abusa do alarme”, adiantou.

Conhecido no meio musical como um hitmaker, Latino soma sucessos próprios e hits que compôs para outros artistas como Já é Sensação, do MC Andinho, e Tô Nem Aí, cantado por Luka. “Eu crio a partir de coisas que eu vejo, baseado em histórias de amigos, mas só é um hit quando o cara acerta na produção, acerta na melodia e acerta no markting”, explicou o cantor que também é conhecido por indicar belas mulheres para participarem do reality show “A Fazenda”. “Quem escolhe são eles, mas já indiquei várias e quatro entraram. Com duas [Mirella Santos e Rayanne Moraes], eu namorei sério. Talvez eu tenha dado sorte nas indicações”, brincou o artista.

Durante o Tô na Pan, Latino também relembrou as dificuldades da infância. “Eu fui um garoto de rua. Teve uma temporada que eu dormia debaixo do viaduto do Meier, no Rio de Janeiro”, começou contando. Foi nessa época que ele conheceu os pastores R. R. Soares e Edir Macedo. “Eles integravam um coreto na praça do Meier. Eu ajudava a montar o som. Eles levavam a palavra e isso foi me cativando”, contou o artista que vivia uma fase difícil já que sua mãe estava morando nos Estados Unidos e muitos dos seus amigos estavam na Febem, que se transformou na atual Fundação Casa. Sabendo que o filho não saia da rua, a mãe de Latino voltou ao Brasil e o levou para o exterior com ela. “Foi aí que a minha vida mudou”, concluiu o artista.