Placar 18 a 6: Confira a lista com os deputados que já anteciparam seus votos em relação às reformas

Campanha da Jovem Pan O Brasil Não Pode Mais Esperar, que defende mudanças no sistema tributário e na gestão da máquina pública, colhe depoimentos de parlamentares; entre os senadores, contagem é de 7 votos a favor, 2 indefinido e nenhum contra

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2021 13h10
Estadão ConteúdoGoverno se esforça para que as reformas administrativa e tributária sejam aprovadas no Congresso

Inaugurada no dia 25 de janeiro deste ano, a campanha O Brasil Não Pode Mais Esperar se coloca a favor das reformas e outros projetos fundamentais para o país se desenvolver e conseguir retomar o crescimento econômico. Empresários e políticos deram seus pontos de vista sobre como essas mudanças estruturais podem transformar a economia, o mercado de trabalho, o sistema tributário e as contas públicas. A campanha entrou em uma nova fase em abril, quando passou a colher e revelar as opiniões dos parlamentares do país sobre as duas reformas em pauta neste momento no Congresso: a tributária e a administrativa. Cada projeto precisa ser aprovado na Câmara dos Deputados antes de seguir para votação no Senado. “A pandemia atrasou um pouco, mas vamos votar as reformas ainda neste ano”, assegura o deputado federal Darci de Matos (PSD-SC), relator da reforma administrativa. Até esta sexta-feira, 25, a Jovem Pan registra 18 votos a favor e 6 contra na Câmara. Entre os senadores, são 7 votos favoráveis, 2 indefinidos e nenhum contrário.

Quem se coloca a favor das reformas administrativa e tributária defende que elas vão gerar empregos, simplificar o sistema tributário e melhorar a prestação de serviço público. “O Brasil clama pelas reformas. Eu me posiciono a favor das duas, mas, claro, fazendo a observação de que a gente precisa verificar quais serão os textos finais apresentados para votação em plenário. Precisamos gerar riqueza, gerar empregos”, disse o deputado federal Cabo Junio Amaral (PSL-MG). “Nós não podemos deixar com que continuem pensando que quem passa em um concurso público terá sua estabilidade. Não trabalha, vai para rua”, opinou o deputado Bibo Nunes (PSL-RS). “E temos impostos demais no Brasil.” Já Carlos Zaratini (PT-SP) acredita que a reforma tributária deveria aumentar os impostos dos bilionários. “[Tem que ser] uma reforma redistributiva, que reduza os impostos da maioria do povo brasileiro”, disse. O petista é um dos parlamentares contrários aos projetos de mudanças estruturais.

Veja quem já declarou seu voto sobre as reformas:

Deputados

SIM
Adriana Ventura (Novo-SP)
Alex Manente (Cidadania-SP)
Alexis Fonteyne (Novo-SP)
Bia Kicis (PSL-DF)
Bibo Nunes (PSL-RS)
Cabo Junio Amaral (PSL-MG)
Carlos Sampaio (PSDB-SP)
Celso Sabino (PSDB-PA)
Darci de Matos (PSD-SC)
Fábio Trad (PSD – MS)
Felipe Rigoni (sem partido)
Jerônimo Goergen – (PP-RS)
Ricardo Barros(PP-PR)
Silvio Costa Filho (Republicanos-PE)
Tiago Mitraud (Novo-MG)
Vanderlei Macris (PSDB-SP)
Vinicius Poit (Novo-SP)
Vitor Hugo (PSL-GO)

NÃO
Carlos Zarattini (PT-SP)
Helder Salomão (PT-ES)
Israel Batista (PV-DF)
Jandira Feghali (PCdoB-RJ)
Júlio Delgado (PSB-MG)
Rogério Correia (PT-SP)

Senadores

SIM
Acir Gurgacz (PDT-PR)
Carlos Viana (PSD-MG)
Chico Rodrigues (DEM-RR)
Luis Carlos Heinze (PP-RS)
Oriovisto Guimarães (Podemos-PR)
Plínio Valério (PSDB-AM)
Wellington Fagundes (PL-MT)

INDEFINIDO
Marcos do Val (Podemos-ES)
Nelsinho Trad (PSD-MS)

Acompanhe a cobertura especial da campanha na página especial do site da Jovem Pan. Clique AQUI.