Especialista em linguagem corporal analisa quem está mentindo no caso MC Kevin

Ao Pânico, o criador do canal Metaforando, Vitor Santos, falou sobre os depoimentos prestados pelas testemunhas da morte do funkeiro

  • Por Jovem Pan
  • 21/05/2021 14h46 - Atualizado em 21/05/2021 15h06
Reprodução/Instagram/mckevin/17.05.2021O funkeiro morreu no último domingo, 16, após cair de uma varanda localizada no 5º andar do hotel onde estava hospedado, na Barra da Tijuca

Criador do canal do YouTube Metaforando, o especialista em linguagem corporal Vitor Santos analisou nesta sexta-feira, 21, as contradições que envolvem a morte de MC Kevin. O funkeiro morreu no último domingo, 16, após cair de uma varanda localizada no 5º andar do hotel onde estava hospedado, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Ao programa Pânico, da Jovem Pan, o especialista em linguagem corporal afirmou que “há muitas contradições nos depoimentos das testemunhas”, começando pelo envolvimento da garota de programa Bianca Dominguez e as mudanças de discurso dos amigos que estavam com Kevin, como MC VK.

“Quando a mesma situação começa a apresentar contradições, há muitas chances da história ainda ter um grande desenrolar. Uma das contradições que mais chamam a atenção é a possível encomenda da garota de programa que teria se relacionado com MC Kevin e MC VK. Parte dos depoimentos dizem que ela teria os encontrado, por acaso, em uma praia do Rio de Janeiro e combinado de se relacionar mais tarde. Outros afirmam que a garota teria sido contratada ainda em São Paulo para prestar os serviços no Rio de Janeiro. Devemos fazer uma observação aqui: Deolane afirmou que conversou com Kevin em um horário próximo ao falecimento e, o próprio cantor estava trocando mensagens com a mãe, o que daria a entender que ele não teria premeditado a situação. Por isso, ficam as questões: quem contratou a garota? Contrataram ela ainda em São Paulo ou isso seria manipulação dos amigos?”, questionou Vitor. Durante a fala, o especialista fez referência à garota de programa Bianca Dominguez e aos amigos do cantor, que estavam com ele no momento do acidente.

Ainda existem outros pontos potencialmente incoerentes, como as falas de MC VK no vídeo que vazou de MC Kevin estirado no chão. Na gravação, ele aparece dizendo: ‘Não foi por mal’. No entanto, depois o colega do funkeiro esclareceu que, na realidade, disse: ‘Não foi normal’. “Mesmo assim, fica a questão: O que não foi normal?”, perguntou Vitor. “Outro ponto contraditório é encontrado nos depoimentos de Bianca. Primeiro ela relata que, na hora do acidente, VK estava próximo. Se estava próximo, por que não ajudou? Depois, Bianca afirma que VK estava no banho. Resumindo: há muitas contradições e as partes que não dizem respeito à Deolane se comportam de forma potencialmente omissa e evasiva”, reitera. Segundo ele, estes comportamentos podem indicar possíveis mentiras. “As informações são ambíguas, ninguém explica de forma direta o que aconteceu. Uma das manobras adotadas pelos mentirosos é utilizar a evasiva verbal. Ou seja, eles nunca explicam os acontecimentos diretamente, optam por informações evasivas como, ‘olha, Deus vai me honrar’, ‘a verdade vai aparecer’, ‘sou um coitado’. Focando na emoção, eles tiram o foco do público em descobrir a verdade e conseguem vender suas versões”, concluiu.

Confira a análise de Vitor Santos ao Pânico: