Atriz de ‘iCarly’, Jennette McCurdy revela em autobiografia: ‘Estou feliz que minha mãe tenha morrido’

Intérprete de Sam Puckett na série Nickelodeon largou a carreira artística e explicou o motivo

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2022 15h13
Reprodução/Instagram/jennettemccurdy Jennette McCurdy Jennette McCurdy ficou conhecida por interpretar Sam Puckett em 'iCarly'

Jennette McCurdy, que ficou conhecida por interpretar Sam Puckett na série da Nickelodeon “iCarly”, está prestes a lançar um livro sobre suas memórias e o que chamou atenção foi o título da obra que, em tradução livre, é: “Eu estou feliz que minha mãe tenha morrido” (“I’m Glad My Mom Died”, título original em inglês). Em entrevista à revista americana Entertainment Weekly, Jennette, que abandonou a carreira de atriz, afirmou que o livro transitará entre momentos engraçados e tristes. Além do título chamativo, ela aparece na capa com uma urna, que é usada para colocar as cinzas de quem é cremado, da qual está saindo confete. “Essa me pareceu uma boa maneira de capturar o humor da tragédia, mas eu sabia que não queria ir tão longe a ponto de jogar o confete ou pular no ar com um enorme sorriso no rosto”, comentou a ex-atriz, que atualmente está com 29 anos. O livro está previsto para ser lançado em agosto deste ano e o que intrigou os fãs da Jennette é por que ela estaria feliz com a morte da sua mãe. 

Jennette explicou que a mãe era controladora e a forçou desde criança a seguir na carreira artística para se tornar uma estrela. Segundo ela, isso gerou ansiedade, insegurança e auto-aversão, que se manifestaram em distúrbios alimentares, vícios e outros hábitos não saudáveis. As coisas ficaram piores quando Jennette perdeu a mãe, que morreu vítima de um câncer na época em que a filha assumiu o papel principal da série “Sam & Cat” ao lado da cantora Ariana Grande. Fazendo terapia e longe da atuação, a ex-estrela da Nickelodeon sentiu vontade de compartilhar com os fãs o seu processo de recuperação. “Foi importante para mim explorar o abuso emocional e psicológico que sofri durante meu tempo como jovem artista. Eu não tinha as ferramentas, a linguagem ou o apoio necessários para falar por mim mesma naquela época, então este livro é uma maneira de honrar essa experiência e dar voz ao meu antigo eu.” O intuito de Jennette com o livro é encorajar outros jovens que estão sendo forçados a fazer algo que não desejam a falarem do assunto.