Mansão de Gisele Bündchen e Tom Brady é invadida nos EUA e polícia prende suspeito

Invasor já possui passagens pela polícia e teria sido encontrado ‘deitado no sofá’ da casa

  • Por Jovem Pan
  • 07/12/2020 15h11 - Atualizado em 07/12/2020 15h15
Reprodução/InstagramTom Brady e Gisele Bündchen não moram mais na mansão invadida

O Departamento de Polícia de Brookline, nos Estados Unidos, prendeu nesta segunda-feira, 7, um homem suspeito de invadir uma mansão que pertence a Gisele Bündchen e Tom Brady. Os policiais disseram ao TMZ que o suspeito disparou vários alarmes da casa e que as autoridades foram notificadas pela segurança privada do local. A invasão aconteceu às 5h55 da manhã no horário local. O suspeito se chama Zanini Cineus, é um morador de rua e tem 34 anos. As autoridades contaram que os policiais localizaram Cineus “deitado no sofá no meio da sala” da mansão. Ele possui uma ficha criminal que com várias acusações – incluindo invasão de domicílio – e o curioso é que no ano passado o suspeito foi detido por roubar uma camiseta do jogador de futebol americano casado com a modelo no museu The Patriots Hall of Fame, também nos Estados Unidos.

O famoso casal não está morando na mansão invadida, que está localizada em Massachusetts, há alguns meses. Ainda segundo o TMZ, Gisele e o marido compraram a propriedade em 2013 e construíram a casa do zero. A conclusão da obra foi em 2015 e a propriedade conta com cinco quartos, sete banheiros, sala de recreação, academia, sala de vinhos, spa e uma horta orgânica ao ar livre. O casal colocou o imóvel a venda no final de 2019 por US $ 39,5 milhões (cerca de R$ 197 milhões), depois reduziu o preço para US $ 33,9 milhões (cerca de R$ 167 milhões), mas mesmo assim não conseguiu vender. Eles teriam desistido da venda por um tempo, mas voltaram recentemente a tentar se desfazer da propriedade. Atualmente, a modelo está morando com família na Flórida.