Mara Maravilha esclarece polêmica sobre paródia de música de Xuxa: ‘Fui muito infeliz’

‘No fundo, eu amo a Xuxa e acredito que ela também me ame’, disse a cantora em entrevista ao Morning Show

  • Por Jovem Pan
  • 31/01/2022 13h01
Reprodução/Jovem Pan Mara Maravilha no programa Morning Show Mara Maraviha foi a convidada do programa Morning Show desta segunda-feira, 31

Nesta segunda-feira, 31, o programa Morning Show, da Jovem Pan, recebeu a cantora Mara Maravilha. Em entrevista, ela esclareceu sobre a polêmica envolvendo Xuxa e uma paródia da música Ilariê durante uma apresentação de Maravilha no Programa do Ratinho. “Fui muito infeliz quando fiz aquela paródia no Programa do Ratinho. Sinto, principalmente, pelas pessoas que têm esse pormenor de lentidão no pensamento. Tenho muitos fãs que têm síndrome e entenderam. No fundo, eu amo a Xuxa, e acredito que ela também me ame. Não é o politicamente correto. O mundo está rápido, logo, logo não estaremos mais aqui, o que é que vai ficar? É humano, vamos para a frente”, disse. Na ocasião, Mara cantou uma paródia do sucesso da Rainha dos Baixinhos, onde insultava fãs da artista: ‘Eu ganhei um disco da Xuxa e virei um débil mental’.

Mara Maravilha também opinou sobre o cancelamento e a política. Para a cantora, a classe artística deve se posicionar em todas as esferas políticas. “A gente sempre tem que se posicionar em tudo. No condomínio, na família, você tem política. A gente vive política. Você não pode ser cego, fazer vista grossa para a política. Mas acho que o Brasil precisa de uma cura, está doente há muito tempo”, afirmou. “Não levanto bandeiras, direita, esquerda ou meio. Levanto a bandeira Brasil para cima, sabe? Com saúde, segurança, oportunidade e respeito. Me posicionar a favor do povo, ser a favor do povo”, completou. 

A cantora ainda comentou sobre a repercussão de uma postagem recente em seu Instagram, onde fala sobre o empoderamento feminino. “Empoderamento não é só a mulher poder colocar as pernas de fora, não é só mostrar o corpo de fora, sensualizar. É a mulher que se posiciona como mãe, que pode escolher seu companheiro independente de idade e de classe social, é uma mulher que sabe quem ela é independente dos julgamentos e estereótipos. O empoderamento é isso. Não queremos estar na frente, tipo feminismo, queremos a igualdade, o humanismo”, disse.

Confira na íntegra a entrevista com Mara Maravilha: