Radialista José Paulo de Andrade morre, aos 78 anos, vítima da Covid-19

Radialista foi diagnosticado com a doença em 7 de julho; com quase 60 anos de carreira no rádio, ele deixa esposa e dois filhos

  • Por Jovem Pan
  • 17/07/2020 08h58 - Atualizado em 17/07/2020 09h01
ReproduçãoZé Paulo se consolidou como uma das vozes mais importes do rádio brasileiro

O radialista e apresentador José Paulo de Andrade morreu, nesta sexta-feira (17), aos 78 anos de idade. Ele foi diagnosticado com Covid-19 em 7 de julho, quando, na ocasião, a apresentadora Thays Freitas, da Rádio Bandeirantes, confirmou o teste positivo após ouvintes sentirem falta do jornalista no ar e estimou suas melhoras. Ela era sua colega de bancada no “Jornal da Gente” na mesma emissora. Zé Paulo estava na rádio há 57 anos.

A longa carreira do radialista começou em 2 de abril de 1973, quando entrou no ar pela primeira vez no programa “O Pulo do Gato”, na Bandeirantes de São Paulo, e lá permaneceu e criou sua marca como um dos principais comunicadores do país. Seus números são prova disso: 59 anos de Jornalismo (contratado na Rádio América em 1º de janeiro de 1961), 57 anos de Rádio Bandeirantes (contratado em 1º de fevereiro de 1963), 47 anos de O Pulo do Gato (2 de abril de 1973) e 42 anos de Jornal Gente (18 de abril de 1978).

O governador do estado de São Paulo, João Doria, homenageou o radialista no Twitter. “Recebo com profundo pesar a notícia da morte de José Paulo de Andrade. Ele abrilhantou a história do rádio e do jornalismo. O País perdeu um brasileiro apaixonado e o jornalismo uma de suas principais vozes. Meus sentimentos aos familiares, amigos e ouvintes que o acompanhavam”, escreveu Doria na manhã desta sexta.

Band lamenta

Em nota enviada à imprensa, o Grupo Bandeirantes lamentou a morte de relembrou Zé Paulo de Andrade, e relembrou sua carreira.

Leia a nota na íntegra:

O Grupo Bandeirantes de Comunicação informa, com profundo pesar, a morte do jornalista, radialista e bacharel em Direito formado pela Faculdade de Direito do Largo São Francisco, José Paulo de Andrade, ao mesmo tempo em que se solidariza com familiares, amigos e colegas de trabalho enlutados.
Casado e pai de dois filhos, José Paulo tinha 78 anos e contraiu a Covid-19. Ele estava internado no Hospital Albert Einstein desde o último dia 7, mas não resistiu às complicações causadas pela doença e faleceu nesta sexta-feira, 17 de julho.

Nascido em São Paulo, José Paulo de Andrade começou a carreira profissional em 1960 como radioescuta do plantão esportivo da Rádio América de São Paulo. Em 1963, ingressou na Rádio Bandeirantes para atuar como locutor esportivo, função que exerceu ao longo de 14 anos. Depois disso, passou pelo jornalismo como apresentador e comentarista. Também fez aparições em debates políticos na televisão e foi âncora de telejornais como Titulares da Notícia, Jornal de São Paulo, Rede Cidade, Band Cidade e Entrevista Coletiva. Ainda na Band, interpretou Don Diego/Zorro em As Aventuras do Zorro, em 1969.

O radialista foi sucessor de Vicente Leporace, morto em abril de 1978, no programa O Trabuco, que naquele mesmo ano foi substituído pelo Jornal Gente, permanecendo 35 anos no ar com ele, Salomão Ésper e Joelmir Beting.

Em 1973, José Paulo de Andrade estreou no comando de O Pulo do Gato, considerado o mais importante trabalho de sua carreira e um dos programas de maior audiência do rádio brasileiro. A atração era apresentada ininterruptamente por ele desde então.

Em 2009, o jornalista foi eleito pela revista “Veja SP” como uma das pessoas que são a cara da cidade. Mas ele era mais do que isso: com uma voz firme, amplo conhecimento político-econômico, são-paulino fanático e um dos maiores formadores de opinião do Brasil, José Paulo tinha um coração gigante e um caráter ímpar.

Com 57 anos de Rádio Bandeirantes, José Paulo de Andrade deixará um legado indiscutível, um vazio enorme e muitas saudades.