Pyong desabafa e pede desculpas a Sammy e Jake Lee: ‘Levantarei todos os dias para ser melhor’

Em vídeo divulgado nas redes sociais, influenciador digital se diz arrependido e envergonhado: ‘Me entristeceu ver quem eu era e para onde aquilo estava me levando’

  • Por Jovem Pan
  • 15/10/2021 16h25
Reprodução/Instagram/@pyongleeO influenciador digital se afastou das redes sociais após escândalo de traição no reality show Ilha Record

Nesta sexta-feira, 15, o hipnólogo e influenciador digital Pyong Lee declamou uma carta aberta após período de distanciamento das redes sociais. Em vídeo, o ex-BBB pede desculpas à ex-esposa  Sammy Lee, após ter se envolvido numa suposta traição durante o reality show Ilha Record com a modelo Antonela Avellaneda. “Não existia um segundo em que não me arrependesse de abrir uma ferida no seu coração, o coração mais companheiro, verdadeiro, fiel, puro e singelo que já conheci. Sammy, quem me dera ter percebido antes o verdadeiro valor da vida, quem me dera se pudesse acordar todos os dias ao seu lado, ver seu sorriso e o de nosso filho, enquanto você abre a janela e o sol entra em nosso lar. Peço perdão por não ter sido o melhor, por não ter sido nem 1% do que você merece”, disse. Pyong ainda pediu perdão ao filho, Jake Lee, de 1 ano e 7 meses, e prometeu mudanças em nome dele. “Quero pedir perdão para o meu filho Jake, que apesar de não entender, teve uma parte de sua história escrita por minhas escolhas e atitudes horríveis. Prometo que me levantarei todos os dias da vida para ser melhor e te dar orgulho de ter meu sobrenome, não por fama ou dinheiro, mas por honra do homem segundo o coração de Deus.”

No vídeo, Pyong afirmou que, durante o período de reflexão, contou com ajuda espiritual e de profissionais da saúde. “É muito difícil reconhecer que temos um problema, nossa própria mente não consegue enxergar e, quando conseguimos ver, já é tarde demais. Minha mãe me abandonou quando eu tinha 9 anos, meu pai se afundou na depressão e eu perdi ele aos 12. A história é longa, mas o resultado o Brasil inteiro conheceu: o lado bom e o lado ruim. Nada justifica o homem que eu já fui, totalmente entregue a uma existência perdida. Nesses dias eu me conheci pela primeira vez, enxerguei o que jamais tinha enxergado. Doeu e me entristeceu ver quem eu era e para onde aquilo estava me levando. Esse processo doloroso foi feito acompanhado por profissionais e líderes, mas principalmente por Deus. O Espírito Santo não soltou minha mão por um só segundo. Foi assustador. Renasci e encontrei minha identidade. Abomino quem já fui.”