Ex-BBB Patrícia Leitte conta que tentou suicídio após rejeição no reality: ‘Eu ia pular do 7º andar’

A ex-sister não aguentava mais as críticas que recebia e foi impedida de pular do prédio pela irmã

  • Por Jovem Pan
  • 09/02/2021 09h58 - Atualizado em 09/02/2021 14h31
Reprodução/Instagram/patricialeitteoficialPatrícia Leitte teve umas das maiores rejeições do 'BBB' em um paredão triplo

Patrícia Leitte teve uma participação marcante no “BBB 18”, isso porque a sister possui uma das rejeições mais altas de todas as edições do reality – saindo com 94,26% em um paredão triplo. Nas redes sociais, o público acredita que Karol Conká pode bater esse recorde de rejeição, e a ex-BBB decidiu expor, durante uma live com Márcia Goldschmidt no Instagram, o quanto sofreu após o programa e pediu para o público ter cuidado. “Fui cancelada pelo meu jogo e por falar mal de algumas pessoas dentro da casa que o público amava. No começo do jogo, eu era muito querida, tinha tudo para jogar bem e ir para a final. Cearense, gordinha, engraçada. Eu sou uma pessoa boa praia, mas no jogo, quando eu coloquei o propósito de jogar, de combinar voto e arquitetar paredão, o público entendeu isso como algo ruim. Joguei a Gleici Damasceno [vencedora da edição] no paredão”, disse Patrícia.

A ex-sister explicou que foi “odiada e rejeitada” por ter mirado em uma pessoa que era querida pelo público, mas enfatizou que não fez nenhuma declaração xenofóbica, racista, homofóbica ou gordofóbica dentro da casa. Devido aos inúmeros ataques que sofreu após o programa, Patrícia revelou que tentou se matar. “Eu sofri muito, pensei em suicídio. Eu ia pular do sétimo andar de cabeça, mas Deus não deixou. A minha irmã sentiu que eu ia fazer isso porque eu não aguentava mais as pessoas me agredindo, dizendo coisas que eu não era e eu ser proibida de ir ao colégio do meu filho porque as crianças faziam bullying. Eu sentia que eu era uma pedra no sapato”, afirmou a ex-BBB, que chegou a escrever uma carta de despedida e estava prestes a pular quando sua irmã chegou ao seu apartamento. Mesmo com os traumas, ela não se arrepende de ter participado e disse que iria novamente, pois depois do programa muitas portas se abriram para ela.