Gravação de Emilly no confessionário do BBB 17 foi entregue à polícia, diz Globo

Vídeo vazado mostra ex-sister conversando com médico e advogada do programa sobre agressões de Marcos Harter

  • Por Jovem Pan
  • 28/08/2020 10h52
Reprodução/TV GloboEmilly, que foi a campeã daquela edição, de relacionou com Marcos Harter no programa

A Globo divulgou nota com seu posicionamento em relação ao vazamento de um vídeo que traz Emilly Araújo, vencedora do BBB 17, conversando com uma advogada e um médico no confessionário da casa na ocasião em que teria sofrido agressões de seu então namorado no programa, Marcos Harter. “A Globo tem rígidas medidas de segurança da informação constantemente revistas. No caso específico dessas imagens, em cumprimento a uma determinação judicial, elas foram entregues às autoridades competentes na ação movida pelo ex-participante do BBB, Marcos Harter, contra a Globo”, informou a emissora em comunicado.

Marcos Harter foi expulso do Big Brother Brasil poucos dias antes da final da atração, em 2017. Ele foi indiciado e investigado por agressão contra Emilly, com quem tinha um relacionamento na casa. Na ocasião, afirmou que não tinha a intenção de “machucar física ou emocionalmente”. Em março de 2020, a colunista Fábia Oliveira noticiou que Harter entrou na Justiça contra a emissora buscando R$ 750 mil em indenização por danos morais.

No vídeo gravado dentro do confessionário, a advogada informa à Emilly que, após orientação da Justiça, ela precisava ser informada sobre o seu direito de “caso queira, solicitar medidas protetivas de urgência” contra Harter. “Lembra aquele roxo que eu te mostrei no meu braço? Foi o Marcos que fez. Agora já saiu”, conta Emilly ao médico. Ao longo de todo o vídeo, a participante do BBB 17 vai relatando outros casos de apertões e beliscões que deixaram marcas em seu corpo ou que causaram dor na ocasião, incluindo uma vez em que Harter segurou e balançou sua cabeça com força. “Ele segurou meu rosto assim e, não ficou doendo, mas ele bateu minha cabeça assim, balançou minha cabeça. Eu assustei com aquilo e ele começou a chorar. Daí eu perdoei ele”, diz Emilly.

*Com Estadão Conteúdo