Karol Conká pode ser suspensa de festival de música devido à sua postura no ‘BBB 21’

‘Discordamos fortemente das declarações e atitudes da artista em sua participação na casa’, diz o comunicado divulgado pelo Rec-Beat

  • Por Jovem Pan
  • 01/02/2021 11h25
Reprodução/GloboKarol Conká pode deixar de participar do festival Rec-Beat por causa das polêmicas no 'BBB 21'

Uma das grandes surpresas do “BBB 21” foi a participação da cantora Karol Conká, que rapidamente foi apontada como uma das favoritas do reality da Globo. Quando já estava dentro da casa, ela foi anunciada como uma das atrações do festival de música Rec-Beat, que todos os anos acontece em Recife, Pernambuco, durante o carnaval, mas este ano será online devido à pandemia. O problema é que bastou uma semana de jogo para a participante perder seu favoritismo e passar a ser criticada nas redes sociais. Em meio a tantas polêmicas, os organizadores do festival decidiram reavaliar a participação da cantora: “Discordamos fortemente das declarações e atitudes da artista Karol Conká em sua participação na casa BBB 21, que revelam posturas que confrontam os princípios do Festival Rec-Beat. Por ela estar incomunicável e por envolver vários agentes, estamos avaliando as implicações resultantes de uma possível suspensão da exibição do conteúdo audiovisual gravado pela artista para compor a edição digital do Rec-Beat SP, programada para o dia 14/02”.

O comunicado divulgado pelo Rec-Beat também diz que a ideia não é promover o “cancelamento” da artista. “Ressaltamos que repudiamos a prática do cancelamento e da condenação/linchamento de pessoas pelas redes sociais. Qualquer posição que venha a ser tomada pelo Rec-Beat virá acompanhada de ações que debaterão questões como a xenofobia e da cessão de espaço para que a artista se manifeste no momento em que ela sair do isolamento imposto pelas regras do BBB”, pontuaram os organizadores. Karol Conká começou a gerar polêmica após começar a criticar Juliette na casa e associar o jeito da paraibana a região em ela mora, no Nordeste brasileiro. As falas da cantora, que é de Curitiba, região Sul do país, não foram bem vistas e o público considerou esse ato como xenofobia.