Após afastamento de Caboclo, CBF publica manifesto de funcionários contra o assédio sexual

Nota pede investigação ‘justa e ágil’ e diz que a Confederação ‘zela pelo ambiente saudável de trabalho e convivência’

  • Por Jovem Pan
  • 11/06/2021 23h19
Fotos Públicas/CBFSede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) na Barra da Tijuca

Uma semana depois que a acusação de assédio sexual e moral contra o presidente da CBF, Rogério Caboclo, veio à tona, a Confederação publicou um manifesto em nome dos funcionários contra abusos. A nota postada nas redes sociais pede uma “investigação justa, ágil e profunda das graves acusações de assédio”, além de dizer que a Confederação zela pelo ambiente saudável de trabalho e de convivência. Nesta semana, a seleção masculina do Brasil se manifestou brevemente sobre o afastamento de Caboclo da presidente. Nesta sexta, com maior ênfase, a seleção feminina também lançou um manifesto repudiando o assédio contra as mulheres e ainda utilizou uma faixa de repúdio antes da partida contra a Rússia.

Confira abaixo a íntegra da nota da CBF

“Nós, funcionárias e funcionários da Confederação Brasileira de Futebol, queremos manifestar nossa confiança na Comissão de Ética do Futebol Brasileiro para a investigação justa, ágil e profunda das graves acusações de assédio apresentadas. O esporte é um espaço de respeito e de inclusão. A Casa do Futebol Brasileiro deve sempre representar esses valores. Temos convicção de que a CBF continuará a zelar pelo ambiente saudável de trabalho e de convivência e também cada vez mais plural. E vamos trabalhar juntos com a CBF nessa direção”