Copa América: Thiago Silva vai na contramão da seleção e evita criticas à Conmebol

Depois de o técnico Tite ter sido multado pelas críticas à organização da competição e das ironias de Neymar à qualidade dos gramados, o zagueiro adotou um posicionamento oposto

  • Por Jovem Pan
  • 30/06/2021 17h43 - Atualizado em 30/06/2021 17h44
Reprodução/CBF TV Thiago Silva durante entrevista coletiva Thiago Silva concedeu entrevista coletiva antes de Brasil x Chile

Depois de o técnico Tite ter sido multado pela Conmebol pelas críticas à organização da Copa América e das ironias de Neymar à qualidade dos gramados, o zagueiro Thiago Silva adotou um posicionamento oposto e evitou o confronto com a Confederação Sul-Americana de Futebol. O defensor do Chelsea até destacou o esforço da entidade para oferecer uma boa infraestrutura. Na sexta-feira, 2, o Brasil enfrenta o Chile pelas quartas de final do torneio no Estádio Nilton Santos (Engenhão), no Rio de Janeiro.

“Sobre a organização, a Conmebol fez de tudo para que pudesse dar bons estádios, bons campos, mas ficou decidido (em cima da hora), ficou meio que impossível disso acontecer. Não tenho dúvidas que fizeram esforço máximo, mas as condições estão aí. Todos sabem como estão os campos, mas não temos mais nada para falar dessa situação. Estamos super preparados”, afirmou o zagueiro, nesta quarta-feira. “(O termo) Pisar em ovos é forte, mas temos que respeitar hierarquia, o que foi feito para realizar a Copa América, com 10 dias de preparação… Isso dificultou muito a logística de cada seleção. Queremos fazer grande jogo independentemente do gramado O campo vai estar ruim para os dois”, afirmou um dos três capitães brasileiros, ao lado de Casemiro e Marquinhos.

Thiago também foi questionado sobre a má fase da seleção chilena, que venceu apenas um jogo no torneio, diante da Bolívia, e ocupa a sétima colocação nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. O rival de sexta-feira foi o pior classificado do Grupo A. “É uma equipe de muita qualidade. Não foi à toa que conquistaram duas Copas Américas seguidas (2105 e 2016). Esse grupo sabe jogar esse tipo de jogo, independentemente do momento que atravessam. Isso não significa muita coisa. Contra a seleção todos querem vencer. Confronto muito difícil, complicado de ser jogado. O mais importante é que estamos preparados para enfrentá-los e vamos tentar neutralizá-los para vencer”, declarou.

*Com informações do Estadão Conteúdo