Presidente do Barcelona tranquiliza torcida no último dia de contrato de Messi

Com vínculo somente até esta quarta-feira, 30, o craque ainda não renovou com o clube e está livre para assinar com qualquer outra equipe – o Manchester City e o PSG seriam os principais interessados, de acordo com a imprensa europeia; Laporta, ainda assim, demonstra otimismo

  • Por Jovem Pan
  • 30/06/2021 10h48
EFE/Alejandro García Messi com a camisa do Barcelona Lionel Messi está em seu último dia de contrato com o Barcelona

Focado na disputa da Copa América, onde tenta o seu primeiro título com a seleção principal da Argentina, Lionel Messi está em seu último dia de contrato com o Barcelona. Com vínculo somente até esta quarta-feira, 30, o craque ainda não renovou com o clube e está livre para assinar com qualquer outra equipe – o Manchester City e o Paris Saint-Germain seriam os principais interessados, de acordo com a imprensa europeia. Ainda assim, na chegada às instalações da agremiação blaugrana, o presidente Juan Laporta tratou de tranquilizar os torcedores e mais uma vez demonstrou o otimismo geral ao ser perguntado sobre a prorrogação do contrato do atacante.

Questionado por jornalistas na entrada de seu escritório em Barcelona, nesta quarta-feira, sobre a renovação de contrato de Messi, o dirigente não deu nenhum detalhe sobre as negociações com o staff do craque argentino, mas mostrou bom humor e disse que não preocupação. “Fiquem tranquilos”, afirmou Laporta antes de entrar no prédio. Como o astro está defendendo a seleção, ainda não há uma previsão de quando as conversas serão concluídas. Ainda assim, desde o começo de janeiro deste ano, o argentino já poderia ter assinado um pré-contrato com outro time se quisesse, mas isso não aconteceu.

Messi está no Barcelona desde a infância, assinando seu primeiro vínculo profissional em 2005. Maior artilheiro da história do clube, o argentina soma até aqui 778 jogos, com 672 gols e 264 assistências. Além disso, conquistou quatro títulos da Ligas dos Campeões da Europa e 10 do Campeonato Espanhol, entre outros triunfos – são 33 no total. Na temporada passada, o jogador ficou perto de deixar o Camp Nou, mas viu uma cláusula prevista em seu contrato impedir a sua saída e preferiu não ir à Justiça para se desligar. Na época, com o presidente Josep Maria Bartomeu no comando, o argentino esteve próximo do Manchester City, que é treinado pelo espanhol Pep Guardiola, seu ex-treinador no clube espanhol. Após a saída do ex-mandatário, o clima entre o atleta e a agremiação melhorou e a expectativa, agora, é de um desfecho positivo.