Corinthians domina Palmeiras em pleno Allianz Parque, faz 2 a 0 e dispara no Brasileirão

  • Por Jovem Pan com Estadão Conteúdo
  • 12/07/2017 23h45 - Atualizado em 12/07/2017 23h59
De pênalti, Jadson abre o placar e comemora o gol do Corinthians em plena casa do Palmeiras

A calma superou a loucura e foi a chave para definir quem é o invicto supremo. O Corinthians jogou com a precisão de sempre para aplicar 2 a 0 no Palmeiras, na noite desta quarta-feira (12), no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro. Líder disparado da competição, o time alvinegro superou a pressão do maior rival para chegar ao 27º jogo seguido sem perder e derrubar o alviverde em casa após 31 jogos e quase um ano de invencibilidade. Agora os dois clubes estão separados na tabela por 16 pontos.

O frio e ponderado Corinthians enfrentou a pressa e a insanidade do Palmeiras. O “pilhado” time da casa tinha tanta vontade em reduzir de 13 para dez pontos a diferença, ganhar do rival em casa e diminuir a expectativa da torcida, que tinha mais desespero do que futebol no jogo.

Prevaleceu, porém, a organização e a tranquilidade de quem sabe a hora de definir o jogo. Os adversários conhecem de cor a escalação do Corinthians, como é o estilo de jogo e quais os pontos fortes. Só não descobriram como deter o (cada mais vez) favorito ao título, que soma agora 35 pontos – o Palmeiras ocupa o sexto lugar, com 19.

O clichê de tratar o clássico como um campeonato à parte mexeu com os clubes. As delegações saíram rumo ao estádio cercada de festa pelas torcidas e em campo sentiram o público bastante exaltado. O locutor da arena encerrou o anúncio das escalações com o chamado para os palmeirenses a gritarem, pedido prontamente aceito e repetido a simples cada dividida.

O público inteiramente alviverde perseguiu com vaias o ex-palmeirense Gabriel durante o jogo e viu o time em campo nervoso, contaminado pelo excesso de vontade. Nos 20 primeiros minutos errou passes demais, mesmo com 71% de posse de bola. O Corinthians permaneceu paciente, ao estilo habitual, e tratou de confiar na firme defesa enquanto o adversário tocava a bola sem levar perigo.

O estilo tranquilo corintiano era próprio de quem é confiante e parece ter a certeza da oportunidade para golpear. A chance do bote veio no desarme errado de Bruno Henrique em Guilherme Arana O ex-corintiano fez falta na área e deu a chance para Jadson converter o pênalti, aos 22 minutos de jogo. Era a senha para o Palmeiras aumentar de vez o nervosismo.

A partida virou de vez o confronto de ataque contra defesa. O sufoco desordenado do Palmeiras teve momentos de zagueiro Mina como armador e de Róger Guedes correr tanto que esqueceu da bola O melhor momento do primeiro tempo foi a reclamação de um pênalti por toque na mão. O calmo e organizado Corinthians soube conter esse ímpeto.

O técnico Cuca mexeu no segundo tempo e deixou o time com cinco atacantes de origem em campo. A pressão serviu para intensificar a aula defensiva dada pelo Corinthians. O principal “professor” era Pablo. Bem posicionado a cada cruzamento, ele era a grande proteção para manter Cássio imune pela sétima rodada consecutiva.

O Corinthians suportou a pressão à espera de nova ferroada. Aos 19 minutos da etapa final, o zagueiro Balbuena lançou para Guilherme Arana bater cruzado e ampliar. Era o golpe tão aguardado e decisivo.

A desvantagem selou a revolta da torcida do Palmeiras. Antes tão empolgada, ficou irritada com os inúmeros erros de um time que investe muito, mas não se organiza em campo. Nesse fundamento, aliás, o Corinthians é exemplo. A tática e a calma são as chaves da supremacia do futebol de campeão.

Opinião JP

Os comentaristas da Jovem Pan enalteceram a vitória do Corinthians sobre o Palmeiras em pleno Allianz Parque. Para Mauro Beting e Vampeta, o resultado conquistado nesta quarta-feira (12) foi merecido. O time comandado por Fábio Carille mostrou mais uma vez toda a sua eficiência. Em duas chances de gols, dois gols marcados

“O Corinthians aumenta a invencibilidade para 27 jogos e põe fim a invencibilidade do rival em casa que já durava quase um ano. Foi uma vitória brilhante. Uma vitória que amplia a vantagem do Corinthians na liderança e praticamente tira a chance do atual campeão brasileiro de buscar o bi. Foi uma vitória histórica”, disse Mauro Beting.

Além da eficiência, Vampeta também destacou o poder ofensivo corintiano. “Uma das coisas que mais chamou a atenção do Corinthians contra o Palmeiras foi o poder de finalização. O time que no início do ano sofria para marcar, de uns dois meses para cá, tem um ataque poderoso. Grande vitória do Corinthians diante do Palmeiras”, concluiu Vampeta.

Ouça os gols da partida entre Palmeiras e Corinthians:

Corinthians – Jadson, aos 23’1T

Corinthians – Guilherme Arana, aos 20’2T