‘A Globo é usada por esportistas para atacar Bolsonaro’, dispara Marcelinho Carioca

O ídolo do Corinthians gravou um vídeo no qual defendeu o presidente da República e prometeu “não se calar” diante de supostos “atos antidemocráticos” de atletas contra o chefe do Executivo brasileiro

  • Por Jovem Pan
  • 22/09/2020 16h31
Montagem sobre fotos/Reprodução/Gabriela Biló/Estadão ConteúdoMarcelinho Carioca postou um vídeo em defesa ao presidente Jair Bolsonaro

Ídolo do Corinthians e pré-candidato a vereador em São Paulo pelo PSL, Marcelinho Carioca voltou a defender o presidente Jair Bolsonaro. Em vídeo postado nas redes sociais na noite da última segunda-feira, 22, o ex-jogador afirmou que a Rede Globo tem sido usada por atletas que querem atacar o chefe do Executivo. Segundo o “Pé de Anjo”, a última vez em que isso aconteceu foi no domingo, 20, quando a jogadora de vôlei de praia Carol Solberg aproveitou uma entrevista ao SporTV para disparar um “fora, Bolsonaro” ao vivo.

“Pela segunda vez, a Globo é usada por desportistas para atacarem o nosso presidente da República, e isso é inadmissível. A primeira vez foi quando eu estive com Bolsonaro, e isso não me cheirou bem. A segunda agora é usada como uma jogadora de vôlei. Que jogada é essa, gente? Eu defendo a liberdade de expressão, mas, usar um veículo de comunicação de massa sem o direito ao contraditório, aí é antidemocrático”, disse Marcelinho, antes de finalizar: “Bolsonaro, meu presidente, eu e vários atletas estamos contigo e nós não vamos nos calar.”

Marcelinho Carioca esteve com Jair Bolsonaro no início de agosto. Na ocasião, entregou uma camisa do Corinthians ao presidente, que é torcedor declarado do Palmeiras, postou um vídeo defendendo a MP do Futebol e dividiu a torcida alvinegra. Cerca de uma semana depois da ida a Brasília, o ex-jogador participou do programa Morning Show, do Grupo Jovem Pan, e disse querer uma reaproximação entre o PSL e o chefe do Executivo. “Fiquei feliz, lisonjeado. O encontro com o chefe da nação é para poucos. Ele é um cara maravilhoso, um presidente humilde que fala sua linguagem”, afirmou Marcelinho, dizendo que teve um “papo de boteco” com o presidente. “Nesse momento mais delicado do governo dele, onde todo mundo se afastou, traiu ele, estou chegando para ser solidário como cidadão”, acrescentou.