Fábio Santos diz que elenco do Corinthians ficou chateado com críticas de Marcelinho Carioca

O ‘Pé de Anjo’ falou mal de Sylvinho, Cássio e Giuliano em ‘live’ que foi transmitida na TV do clube alvinegro

  • Por Jovem Pan
  • 22/10/2021 13h12
Rodrigo Coca/CorinthiansFábio Santos durante treino do Corinthians no CT Parque São Jorge

Fábio Santos, lateral do Corinthians, concedeu entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira, 22, na antevéspera do confronto contra o Internacional, no Beira-Rio, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Entre várias perguntas, o veterano respondeu sobre as críticas feitas por Marcelinho Carioca ao treinador Sylvinho e a alguns jogadores, como Cássio e Giuliano. De acordo com o ala, o elenco alvinegro ficou chateado com as palavras do ídolo. “É natural que essas coisas cheguem até a gente, por mais que a gente procure ficar afastado. Quase não vejo redes sociais, tem muita coisa negativa. Sobre esses dois ídolos, são caras respeitados dentro do clube. Para mim, o Marcelinho, se não é o maior, é um dos maiores da história do clube. Não vejo maldade da TV do clube em abrir espaço para esse tipo de coisa, são ex-jogadores que têm o respeito do torcedor, que acaba escutando. A palavra destes caras é muito valiosa”, disse.

“Quando abre espaço, não imagina que virão críticas, e críticas pesadas. Quando é normal, a gente entende, gosta daquele jogador e não gosta deste, mas são ex-profissionais que passaram pelo Corinthians, que sabem como é o dia a dia. E, num momento de pressão, acaba saindo um pouco do tom. A gente fica triste por usarem esse palavreado. Mas não tem como agradar a todos, é dentro de campo que podemos dar uma resposta positiva. Espero que a gente possa trazer o torcedor para o nosso lado e também que esses ídolos possam, quem sabe um dia, lembrar do que viveram lá atrás e falar bem da gente novamente”, completou Fábio Santos.

Em live publicada na TV Corinthians, Marcelinho Carioca aparece ao lado de Ronaldo Giovanelli criticando parte do elenco corintiano, além do técnico Sylvinho. “Ele (Sylvinho) tem (condições), mas não está fazendo. Tenho intimidade com ele, foi meu companheiro de quarto de 95 a julho de 99. Por isso que chamo ele de Vitamina. Ele sabe que o Mosquito tem que jogar aberto, chamar o Roger Guedes e botar aberto do outro lado, chamar o Gabriel Pereira e deixar no meio para construir, chamar o Giuliano e dizer ‘teu passe só está sendo pro lado, amigo’. ‘Cássio, vem cá, você não sabe jogar com os pés, você não sai do gol, você está um pouco largo'”, afirmou o “Pé de Anjo”.