Sem ‘mesmas condições para todos, não entraremos em campo’, diz Andrés sobre liberação de torcida no RJ

Presidente do Corinthians rebateu notícia de que público seria permitido na capital fluminense a partir de outubro

  • Por Jovem Pan
  • 18/09/2020 23h35 - Atualizado em 18/09/2020 23h36
Newton Menezes/Futura Press/Estadão ConteúdoO Corinthians só aceita a volta do público aos estádios se todos os times da Série A tiverem a mesma oportunidade", diz Sanchez

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, afirmou na noite desta sexta que o time não entrará mais em campo se a torcida for liberada somente para os jogos disputados no Rio de Janeiro. Mais cedo, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, disse que a partida entre Flamengo e Athletico-PR, em 4 de outubro, terá torcedores no Maracanã.

“O Corinthians só aceita a volta do público aos estádios se todos os times da Série A tiverem a mesma oportunidade, independente do estado ou cidade. Se não forem as mesmas condições pra todos não entraremos em campo”, declarou Sanchez, em seu perfil no Twitter. O clube não se manifestou oficialmente nos canais de comunicação.

No fim da tarde desta sexta, Crivella anunciou a volta da torcida, e afirmou que faria um apelo à CBF para autorizar a presença de público no duelo entre Flamengo e Athleltico-PR, no dia 4 de outubro, pelo Brasileirão, no Maracanã. O objetivo do prefeito seria de que o estádio recebesse 20 mil torcedores, um terço de sua capacidade atual.

A CBF vem estudando a possibilidade de retomar a presença de torcedores nos estádios desde o início do Brasileirão, no mês passado. Oficialmente, contudo, a entidade ainda não fez qualquer anúncio sobre o tema. Sabe-se apenas que a ideia é que o retorno da torcida seja feito de forma gradual e com distanciamento social nas arquibancadas.

* Com Estadão Conteúdo