Da Libertadores à Seleção: como Palmeiras superou até Europa para trazer Deyverson

  • Por Jovem Pan
  • 14/07/2017 18h30 - Atualizado em 14/07/2017 18h37
Atacante Deyverson, 26 anos, assinou com o Palmeiras na última quinta-feira. Ex-Alavés, ele era pretendido por clubes da Europa.

Pedido pessoal do técnico Cuca, Deyverson, 26 anos, assinou com o Palmeiras na última quinta-feira. Engana-se, contudo, quem pensa que a contratação do atacante do Alavés-ESP foi “fichinha” para o clube alviverde. Em entrevista exclusiva a Fredy Junior que vai ao ar no próximo fim de semana, na Rádio Jovem Pan, o empresário do atleta, Filipe Dias, revelou detalhes de uma negociação definida como “complicada”.

Segundo Filipe, Palmeiras e Deyverson conversaram pela primeira vez há cerca de 45 dias, pouco tempo depois de Cuca reassumir o comando técnico do time alviverde. O atacante, que encantou o treinador pela televisão, tinha propostas de outros clubes da Europa e, ao menos por enquanto, não pensava em voltar ao Brasil – de onde saiu ainda cedo, aos 21 anos.

O projeto apresentado pelo atual campeão brasileiro, no entanto, o fez mudar de ideia.

“Nós recebemos muitos contatos do Brasil. De uma forma geral, fomos rejeitando todas as situações que tínhamos… Só sentamos mesmo para falar com o Palmeiras, porque pensávamos que seria um passo a frente na carreira do Deyverson”, explicou Filipe Dias.

“Nós também tínhamos algumas situação na Europa e de dentro da própria Espanha. Mas, em função dos objetivos que o Deyverson tem, de conquistar uma Libertadores e, quem sabe, ser convocado para a Seleção, decidimos aceitar a proposta do Palmeiras. Tivemos de pensar bem, sentir se o Palmeiras de fato queria o Deyverson, o quanto ele era desejado… Quando vimos que o interesse era grande, nos motivou ainda mais”, acrescentou.

De acordo com o empresário, voltar ao Brasil não estava nos planos do jogador no momento – elogiado pelo ex-técnico do Barcelona, Luis Enrique, Deyverson tinha mercado na Espanha e também em Portugal, país no qual jogou no início da década. “Nós realmente só ponderamos um retorno ao Brasil quando conhecemos a fundo o projeto do Palmeiras. Isso nos fez inverter um pouco a posição. Nossa ideia, naturalmente, era de seguir na Europa”.

O que esperar de Deyverson?

Filipe Dias fez um breve resumo das principais características do atacante, vice-campeão da Copa do Rei na última temporada. “Os torcedores podem esperar do Deyverson uma entrega total. Ele joga com muita motivação, tem um grande coração. É bom no jogo aéreo e luta muito. Joga 90 minutos com grande intensidade, não para. É um cara muito humilde, que trabalha bastante e, muitas vezes, se sacrifica pelo grupo”.

Sobre a baixa média de gols de Deyverson em 2016/17 – o número é inferior até mesmo ao de Borja no Palmeiras –, o empresário justificou: “no time que ele jogava, que era um time pequeno da Espanha, ele tinha poucas chances de finalizar. Era uma ou duas chances por jogo. E, mesmo assim, ele fez alguns gols. No Palmeiras, tem tudo para marcar ainda mais”.

Segundo Filipe, é possível esperar grandes atuações de Deyverson principalmente nos jogos mais importantes – na temporada passada, por exemplo, ele simplesmente balançou as redes contra Barcelona e Real Madrid. “O Deyverson é muito frio, tem grande capacidade de concentração e eleva o nível em grandes jogos. É uma característica importante dele, sem dúvidas”, finalizou.

O atacante, que custou R$ 18 milhões ao Palmeiras, assinou com o clube alviverde na última quinta-feira e será apresentado na semana que vem. Nos próximos dias, será inscrito no Campeonato Brasileiro e também na Copa Libertadores, torneio cujo título é o principal desejo do clube para o restante da temporada.

Reprodução Twitter