Ex-Santos, Cueva pode estar a caminho do time treinado por Maradona

Em entrevista a jornal peruano Depor, meia se diz ansioso para voltar a uma equipe

  • Por Jovem Pan
  • 05/08/2020 20h02
Ivan Storti/Santos FCNo Santos, Cueva não teve espaço com o treinador Sampaoli

O meia peruano Christian Cueva, que defendeu o Santos no ano passado e recentemente foi dispensado pelo Pachuca, revelou nesta quarta-feira que recebeu uma ligação de Diego Maradona convidando-o para atuar pelo Gimnasia La Plata, treinado pelo ídolo argentino.

Cueva está treinando sozinho, em Lima, há cerca de um mês, e contou sobre a conversa com o ídolo argentino ao jornal peruano Depor. Ele também se disse ansioso para voltar a viver a dinâmica de uma equipe. “É impressionante, uma grande satisfação ser procurado por Maradona, uma das maiores figuras do futebol, porque ele quer contar comigo. Eu nunca esperei por isso em minha vida, nem mesmo em meus sonhos”, declarou o meia de 28 anos.

Segundo o jogador, a procura é motivadora. Ele prometeu dar o seu melhor caso haja um acordo com o ex-clube Pachuca, onde disputou apenas três partidas oficiais. “Esta é definitivamente uma oportunidade que Deus está me dando novamente, apesar da situação no meu tempo em Santos. É gratificante que eles ainda estejam olhando para mim apesar do fato de eu não vir tendo continuidade”, destacou.

Ele lembrou a frustração que sentiu durante o seu tempo no Peixe, onde não era escalado pelo técnico argentino Jorge Sampaoli. A situação pirou depois que o peruano se envolveu em uma briga em uma casa noturna de Santos.

“Fiquei surpreso por ter feito o que me pediram, mas eles não me deixaram fazer o que sentia. Acho que precisa haver um equilíbrio. Não acho certo que tirem minha criatividade, minha vontade ou meu desejo de jogar futebol da minha forma”, criticou.

Por enquanto, o meio-campista ainda não definiu o futuro, mas ressaltou que já recebeu algumas propostas de diversos países. Sobre isso, limitou-se a dizer que confia no trabalho de seu representante, e garantiu estar pronto para recuperar o nível que o tornou um jogador permanente na seleção peruana e o levou à Copa do Mundo de 2018.

* Com EFE