Bayern de Munique vence clássico e fatura Supercopa da Alemanha

Depois de abrir 2 a 0, o atual campeão europeu sofreu o empate, e contou com Kimmich para garantir mais uma taça

  • Por Jovem Pan
  • 30/09/2020 18h48
EFE/EPA/ANDREAS GEBERTCampeão Alemão, da Copa da Alemanha e da Liga dos Campeões, o Bayern já havia conquistado, há alguns dias, a Supercopa da Europa. Agora, com a Supercopa da Alemanha, garante seu quinto troféu

Grandes clássicos são decididos em jogadas individuais, chutes despretensiosos, com ousadia ou persistência. A dura conquista da Supercopa da Alemanha pelo Bayern de Munique, a quinta coroa na temporada, saiu depois de muita luta de Kimmich, que definiu o triunfo por 3 a 2 sobre o Borussia Dortmund e nova festa bávara, nesta quarta-feira, em Munique. Depois de abrir vantagem de 2 a 0 no placar, o Bayern viu o oponente reagir, buscar o empate até ter grande chance de virada. No fim, valeu a estrela de quem não se cansa de erguer taças em 2020.

Kimmich construiu todo o lance do título. Roubou a bola no meio de campo e partiu para o ataque. Tocou para Lewandowski e recebeu de volta para finalizar. O goleiro Hitz deu rebote e o camisa 6, caído, empurrou para as redes. Campeão Alemão, da Copa da Alemanha e da Liga dos Campeões, o Bayern já havia conquistado, há alguns dias, a Supercopa da Europa. Agora, com a Supercopa da Alemanha, garante seu quinto troféu, algo raro na Europa.

Os volantes do time parecem ser predestinados a serem decisivos nas finais. Javi Martinez já havia anotado o gol decisivo na Supercopa da Europa (2 a 1 na prorrogação) diante do Sevilla. Agora é a vez de Kimmich ser o improvável herói num time de ataque poderoso. O torcedor do Borussia Dortmund certamente terá pesadelos com o camisa 6, que já havia definido o último confronto entre as equipes no Campeonato Alemão.

Foi um jogo equilibrado, que começou na base do estudo. Num primeiro tempo sem tanta ousadia dos principais rivais dos últimos anos no futebol alemão, os gols acabaram sendo o único atrativo. Faltaram grandes jogadas, dribles, tabelas e sobraram cautela, estudo e precaução. Tolisso, após rebote do goleiro, e Müller, de cabeça, abriram 2 a 0 no placar, passando a falsa impressão de jogo fácil. Mas Brandt, antes do intervalo, reabriu a disputa. O Borussia arriscou na marcação sob pressão na saída de bola e foi premiado com o gol.

A volta à etapa final foi interessante. Atrás do empate, o Dortmund de cara desperdiçou a chance com Meunier. Haaland foi o mais preciso e igualou o jogo aos 9. O Bayern parecia atordoado. Não fosse defesa gigante de Neuer e a virada seria decretada. Bela intervenção de braço direito em finalização cara a cara de Haaland. Como diante do Sevilla, o goleiro foi decisivo. Salvou atrás e viu um volante definir na frente. Desta vez, Kimmich. O gol fez novamente o Bayern gritar “é campeão”.

* Com Estadão Conteúdo