Ex-Flamengo revela fala surpreendente do presidente do Liverpool após o Mundial: ‘Serviu como um elogio para a gente’ 

  • Por Jovem Pan
  • 25/01/2020 13h00
Richard Callis/FotoArena/Estadão ConteúdoO Flamengo perdeu para o Liverpool na prorrogação e foi vice-campeão do Mundial de Clubes da Fifa de 2019

Mais de um mês se passou, mas a derrota do Flamengo para o Liverpool, em Doha, na final do Mundial de Clubes da Fifa, ainda provoca sentimentos conflitantes a pessoas que estiveram diretamente envolvidas naquela partida. De um lado, a tristeza pelo resultado adverso em um dos jogos mais importantes da história do clube. De outro, o orgulho pela atuação da equipe, que encarou os campeões europeus de igual para a igual e só foi batida na prorrogação 

O paradoxo ainda habita, por exemplo, o coração de Paulo Pelaipe. Recém-demitido do Flamengo, o ex-gerente de futebol rubro-negro deu entrevista exclusiva ao comentarista Flavio Prado, do Grupo Jovem Pan, e contou que uma conversa com o presidente do Liverpool, Tom Werner, ainda no gramado do Estádio Khalifa, durante a cerimônia de premiação do Mundial, ajudou a amenizar o abatimento pela derrota flamenguista no Catar.  

A revelação aconteceu no momento em que Flavio Prado perguntou se o Liverpool havia desdenhado do embate contra a equipe brasileira. “Não! Eles respeitaram o Flamengo”, respondeu Pelaipe, antes de abrir o jogo. “O próprio presidente do Liverpool disse, no fim do partida, na entrega da taça, em uma conversa com a gente e com o Marcos Braz (vice-presidente de futebol rubro-negro), que o Flamengo tinha sido um dos adversários mais difíceis que eles haviam enfrentado, uma das equipes que tinha apresentado as maiores dificuldades a eles nessa trajetória de um ano em que eles não perdem para ninguém no Campeonato Inglês, por exemplo…”. 

“Aquilo ali foi uma coisa reconfortante, importante”, afirmou o dirigente. “E vale lembrar que, na realidade, o jogo foi 0 a 0, né? Nos 90 minutos, foi 0 a 0! Nós só perdemos o jogo na prorrogação e, mesmo assim, tivemos a chance de fazer o gol de empate com o Lincoln no último lance. A fala do presidente do Liverpool serviu como um elogio para a gente”. 

Para Pelaipe, que hoje é diretor executivo do São Caetano, a atuação do Flamengo foi, sim, digna dos elogios do presidente do clube inglês. “A vitória deles foi merecida. Não tem nada a reclamar. O Liverpool, hoje, pratica o melhor futebol do mundo… Temos que bater palmas para eles”, afirmou o dirigente. “Mas, nos primeiros 45 minutos, nós fizemos uma partida de igual para igual. Só que, do meio do segundo tempo em diante, o nosso time sentiu a maratona de 74 jogos, enquanto o Liverpool, que havia jogado 27 partidas até então na temporada, cresceu em campo. O Flamengo, enquanto teve pernas, fez um jogo bom”, finalizou. 

Com aquela vitória por 1 a 0 no tempo extra, o Liverpool, seis vezes campeão europeu, conquistou o seu primeiro título mundial. O Flamengo, por sua vez, perdeu a chance de faturar o bi  já que fora campeão justamente diante dos Reds, em 1981