Mbappé defende Neymar e diz que França não tem o melhor campeonato do mundo

O atacante ainda deixou claro que não se enxerga entre os maiores jogadores do futebol na atualidade, apontando Lionel Messi e Cristiano Ronaldo como acima dos demais

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2021 12h08 - Atualizado em 24/08/2021 19h09
EFE / EPA / IAN LANGSDONNeymar e Mbappé durante treinamento no PSG

O atacante Kylian Mbappé concedeu entrevista nesta terça-feira, 24, à revista espanhola “Esquire España”, e defendeu seu companheiro de Paris Saint-Germain, Neymar, acusado por parte da torcida e da imprensa local de ser um jogador indisciplinado. “No Brasil, as pessoas são mais festivas; na França, mais sérias, não se considera bom mostrar suas paixões. Pensarão que se descuida do PSG porque joga pôquer, mas ele começou a entender. No início, foi difícil porque ele viveu como uma afronta”, disse o francês. “Quando chegou, colocaram a cara dele na Torre Eiffel e seis meses depois perguntavam porque ele joga pôquer. Na França, as pessoas sabem o que acontece, mas não precisam ver. Só querem ver você jogar futebol, sorrindo”, completou.

Respondendo sobre vários temas, Mbappé também falou sobre o Campeonato Francês. No entendimento do jovem, o torneio não pode ser considerado um dos melhores do mundo. “A França não tem o melhor campeonato do mundo”, disse o jovem astro. O atacante, no entanto, garantiu que, apesar disso, ao ser um “jogador emblemático”, como ele próprio classificou, sempre sentiu “a responsabilidade de ajudar para que a liga cresça”. A declaração, assim, não deixa de ser polêmica, já que o atleta tem contrato com o PSG somente até a metade de 2022, ainda não renovou com o clube e está sendo especulado pela imprensa europeia no Real Madrid.

Mbappé ainda deixou claro que não se enxerga entre os maiores jogadores do futebol na atualidade, apontando o novo companheiro argentino, Lionel Messi, e o atacante português Cristiano Ronaldo, da Juventus, como acima dos demais. “Se você diz a si mesmo que fará as coisas melhor do que eles, isso vai além do ego ou da determinação: é falta de consciência. Esses jogadores são incomparáveis, destruíram as leis da estatística, tiveram dez, 15 anos extraordinários”, avaliou o craque, que ainda falou sobre Erling Haaland, destaque do Borussia Dortmund, com média altíssima de gols. “É o segundo ano dele, estamos começando a conhecê-lo. Estou feliz por ele e pelo que está fazendo”, disse.