Neuer aponta motivo para fracasso da Alemanha na última Copa do Mundo

Goleiro recordou a péssima campanha da sua seleção, que foi eliminada na fase de grupos do Mundial de 2018, realizado na Rússia

  • Por Jovem Pan
  • 31/07/2020 08h42
EFEAlemanha fracassou na última Copa do Mundo

O goleiro Manuel Neuer, titular da seleção alemã nas últimas três Copas do Mundo, recordou o fracasso no Mundial de 2018, em que a tetracampeã foi eliminada ainda na fase de grupos, e reconheceu que a derrota para o México por 1 a 0 na estreia foi determinante para a má campanha. “Se você não conseguir dar o primeiro passo, não poderá continuar nos outros jogos. Perder nossa posição foi uma grande experiência para nós, foi a primeira vez que a Alemanha não passou de fase”, comentou o arqueiro do Bayern de Munique em entrevista organizada pelo América-MEX e que teve a participação do também goleiro Guillermo Ochoa.

A Alemanha chegou à Rússia há dois anos bastante badalada, já que era a atual campeã, com direito a 7 a 1 sobre o Brasil em 2014 em pleno Mineirão. Entretanto, após a derrota para os mexicanos, ganhou da Suécia no sufoco e perdeu para a Coreia do Sul, o que a deixou na lanterna do grupo F. A ‘Tri’ avançou em segundo lugar e caiu justamente diante do Brasil nas oitavas de final. “O México fez um bom trabalho contra nós, eles jogaram para nos surpreender no contra-ataque”, disse Neuer, que se prepara para as oitavas da Liga dos Campeões, em que sua equipe, o Bayern de Munique, medirá forças com o Chelsea.

Conhecido pela habilidade com os pés, o goleiro de 34 anos revelou que quando jogava nas categorias de base do Schalke 04 queria atuar em uma posição de linha. “Durante quatro anos eles não tiveram um goleiro no Schalke 04, e o treinador me colocou no gol. Não tínhamos bons campos, jogávamos na terra batida, e não era tão divertido, mas fiz o meu melhor e nunca mais joguei na linha. Fiquei no gol e fiquei feliz em fazer isso”, recordou.

Ochoa, que iniciou a carreira no América e retornou ao clube da Cidade do México no ano passado, também não começou no futebol debaixo das traves. “Comecei como atacante no América, quando eu tinha 10 anos, mas depois o goleiro se machucou e o técnico nos perguntou quem queria ser goleiro, e eu levantei minha mão. O treinador me disse que eu tinha um talento para ser goleiro, e acreditei nele”, disse o mexicano, que considera que a vida dos goleiros ficou mais difícil nos últimos anos. “Hoje em dia, um goleiro precisa de um bom trabalho com os pés. Os treinadores querem segurar a bola e começar o ataque com o goleiro”, analisou.

*Com EFE