Presidente da federação inglesa de futebol se demite após declaração racista

Durante reunião com o Ministério do Esporte, Clarke usou o termo ‘de cor’ para se referir a jogadores da Ásia e África e foi muito criticado

  • Por Jovem Pan
  • 10/11/2020 18h20
Reprodução/ SkysportsGreg Clarke estava à frente da FA desde 2016

O presidente da federação inglesa de futebol (Football Association), Greg Clarke, pediu demissão do cargo nesta terça-feira, 10, e se desculpou por um comentário racista. Durante uma palestra organizada pelo Ministério dos Esportes, Clarke foi questionado sobre a dificuldade encontrada pelos jogadores homossexuais para assumirem sua sexualidade e falou sobre o assédio sofrido nas redes sociais por jogadoras de uma forma geral e por jogadores de minorias étnicas. “Se eu olhar o que acontece com as jogadoras do alto escalão do futebol feminino e aos jogadores de cor do alto escalão, os insultos que eles recebem nas redes sociais… Parece que nas redes há um passe livre”, declarou Clarke.

Rapidamente, foi solicitado que o dirigente se desculpasse por ter usado o termo “de cor” para se referir a atletas da Ásia e da África. “Lamento profundamente. Às vezes me engano nas palavras”, justificou-se o agora ex-presidente da FA, que, no entanto, não resistiu à crise gerada por suas palavras e acabou se demitindo em carta entregue à federação. “Podemos confirmar que Greg Clarke pediu demissão de seu cargo de presidente. Peter McCormick assume o cargo de maneira interina com efeito imediato, e o conselho da FA começará a trabalhar para encontrar um substituto”, anunciou a entidade.

Clarke admitiu que suas palavras eram “inaceitáveis” e “uma vergonha” para o esporte e para todos aqueles que o praticam. “Sinto muito por ter ofendido todas aquelas comunidades que eu e outras pessoas trabalhamos tanto para integrar”, acrescentou. Empresário, Clarke estava à frente da Federação desde 4 de setembro de 2016 e já foi vice-presidente da FIFA.

*Com informações da EFE