Após assaltos, Paris Saint-Germain reforçará segurança nas casas dos jogadores

O clube pagará pela presença de guardas nas residências durante algum tempo, com um ou dois oficiais designados por 24 horas por dia

  • Por Jovem Pan
  • 15/03/2021 13h49 - Atualizado em 15/03/2021 17h47
Reprodução/PSGMarquinhos celebra gol com a camisa do PSG

O Paris Saint-Germain decidiu reforçar o esquema de segurança nas casas dos jogadores, após as residências do meia Ángel Di María e dos pais do zagueiro Marquinhos terem sido assaltadas no fim de semana passada, confirmaram à Agência Efe fontes ligadas ao clube. Esses novos ataques se juntam aos já sofridos por outros integrantes do elenco neste ano, como o goleiro Sergio Rico e o atacante Mauro Icardi. No caso de Di María, cuja residência já havia sido assaltada em 2015, quando ele jogava no Manchester United, o crime ocorreu enquanto o PSG enfrentava o Nantes no domingo. Alertado no meio da partida, o argentino deixou o estádio Parc des Princes.

De acordo com a EFE, diferentemente do que informaram alguns jornais, a família do jogador não foi feita refém e não percebeu a invasão. No caso de Marquinhos, o zagueiro confirmou o assalto à casa dos pais em comunicado divulgado nas redes sociais. “A assessoria de imprensa do atleta Marquinhos, do PSG e da seleção brasileira, confirma que, durante a partida entre PSG e Nantes, a casa dos pais do jogador foi alvo da ação de bandidos que no momento da invasão, familiares do brasileiro, estavam na residência, mas nada sofreram e estão todos bem, se refazendo do susto”, anunciou o estafe do jogador.

De acordo com a emissora “BFM TV”, os ladrões levaram 2 mil euros em dinheiro e bolsas de luxo. Fontes do Tribunal Judicial de Nanterre explicaram à Efe que a investigação está sendo realizada por uma divisão da Polícia Nacional francesa especializada em grupos organizados habituados a recorrer ao uso de armas para os assaltos. “O cálculo das perdas, a investigação no terreno e a audição das vítimas estão em andamento”, informaram. Ambos os casos levaram o PSG a contribuir para a vigilância das casas onde os jogadores residem. Todas estão localizadas no oeste de Paris e já dispõem de medidas consideráveis de vigilância em vídeo e alarme.

Segundo fontes, o clube pagará pela presença de guardas nas residências durante algum tempo, com um ou dois oficiais designados para cada casa 24 horas por dia. Alguns jogadores já contavam com a própria equipe de segurança, como Neymar e Kylian Mbappé, mas mesmo nestes casos a vigilância será reforçada pelo clube. A intenção do PSG é evitar que tais incidentes afetem o clima do plantel em um momento decisivo da temporada, quando o clube disputará as quartas de final da Liga dos Campeões e tentará se recuperar no Campeonato Francês, que, após a derrota de domingo, está no segundo lugar, três pontos atrás do Lille.

*Com informações da Agência EFE