Michel Bastos, ex-seleção brasileira, relata caso de racismo em supermercado; assista

O ex-jogador ainda contou que resolveu fazer um ‘teste’ para saber se a pergunta seria feita a outros clientes

  • Por Jovem Pan
  • 22/02/2021 13h02 - Atualizado em 22/02/2021 17h46
Reprodução/InstagramMichel Bastos disse ter sofrido racismo em supermercado

Aposentado desde 2019, Michel Bastos fez sucesso em vários times europeus, como Lille, Lyon e Roma, passou por gigantes do futebol brasileiro, como São Paulo e Palmeiras, e ainda foi titular da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2010. Tudo isso, no entanto, não impediu que ele sofresse racismo em um supermercado da rede St. Marche, localizado em Alphaville, São Paulo. Em relato feito no Instagram, o ex-atleta demonstrou incômodo com algumas perguntas de um funcionário no momento de passar as compras no caixa. “Cheguei no caixa, estava vazio e quando cheguei lá, a moça olha para mim e fala ‘É Rappi?’. Eu olhei pra ela e falei não, e não foi a primeira vez que aconteceu, por isso me indignou. É a terceira vez que chego no caixa e perguntam pra mim se sou um entregador”, desabafou em vídeo.

Michel Bastos contou que resolveu fazer um “teste” para saber se a pergunta seria feita a outros clientes do supermercado. “Das outras vezes tinham pessoas na minha frente, e a pergunta para essas pessoas é se eram clientes ou queriam CPF na nota. Hoje havia um senhor atrás de mim, fui colocando minhas compras no carrinho e fiquei esperando pra ver qual seria a pergunta para esse senhor. E ela não fez a mesma pergunta pra ele, o que me indigna, é pelo simples fato de querer saber porque para mim é diferente”, concluiu o ex-jogador, que passou também passou por outros times brasileiros, como Grêmio, Figueirense, Sport e América-MG.

Resposta do supermercado

Em posicionamento enviado à Jovem Pan, o supermercado St. Marche manifestou o seu repúdio “ao comportamento inadequado” ocorrido com Michel na loja em Alphaville. “O Grupo cumpre uma série de requisitos em seu Código de Conduta e política de Não Discriminação, sendo uma marca com selo GPTW (great place to work), onde o quesito Diversidade teve a nota máxima nesta pesquisa. Isso reflete a nossa cultura e valores de que todos devem ser tratados com respeito e igualdade. E, cada vez mais, estamos engajados em melhorar nossas políticas e aplicar treinamentos de conscientização junto aos nossos colaboradores e parceiros para que situações como essa não ocorram mais”, diz a nota. Além disso, de acordo com a rede, o CEO Bernardo Ouro Preto entrou em contato pessoalmente com Bastos para “pedir desculpas pela ocorrência pontual”. “Esse triste episódio não representa os valores e princípios do St Marche. Nós já estamos reforçando nossos treinamentos, em especial nesta loja. Não vamos admitir nenhuma forma de desrespeito seja com cliente, colaboradores ou parceiros”, finaliza.