Leila Pereira desabafa sobre arbitragem de Palmeiras x São Paulo pela Copa do Brasil: ‘Prejuízo milionário’

A presidente do Verdão participou da reunião promovida pela CBF e relembrou a polêmica eliminação na Copa do Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 26/07/2022 14h48 - Atualizado em 26/07/2022 14h52
César Greco/Agência Palmeiras/Divulgação Leila Pereira durante entrevista coletiva Leila Pereira é presidente e patrocinadora do Palmeiras

Leila Pereira, presidente do Palmeiras, participou da reunião promovida pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para discutir formas de melhorar a arbitragem no país. Na saída do evento, realizado no Rio de Janeiro, a também investidora do Verdão disse que saiu “otimista”, mas voltou a criticar a entidade pela eliminação do time nas oitavas de final da Copa do Brasil. De acordo com a mandatária palmeirense, os erros cometidos a favor do São Paulo causaram um “prejuízo milionário” aos cofres do clube e são tratados pela diretoria do Alviverde como “inadmissíveis”. “Eu tenho que ser otimista. Eu vim para a reunião para demonstrar minha indignação e revolta. O que aconteceu com o Palmeiras foi inadmissível. Do outro lado, eu me sinto impotente. O que uma presidente pode fazer? Em vista de tudo o que ocorreu, estou pleiteando para que este fato seja um divisor de águas para o futebol brasileiro. Que isso não volte a acontecer! Retiraram o direito do Palmeiras participar de um campeonato extremamente importante. Foi um prejuízo milionário, um prejuízo esportivo”, declarou, em conversa com a imprensa.

A principal reclamação do Palmeiras é com o pênalti marcado a favor do São Paulo, que originou o gol de Luciano e levou a decisão para as penalidades. De acordo com o clube alviverde, Jonathan Calleri estava em posição de impedimento antes de ser derrubado por Gustavo Gómez dentro da área. A CBF, em nota, admitiu que o VAR não traçou as linhas para identificar se o centroavante são-paulino tinha posição legal.  “Como presidente do Palmeiras e investidora, fico muito preocupada. O que um investidor procura? Credibilidade ao expôr sua marca no futebol. Essa credibilidade não existe quando somos prejudicados de uma forma absurda. Não podemos banalizar o erro também. Eu sou presidente do Palmeiras e já dirigi várias empresas com o intuito de não errar. O erro tem de ser exceção. Pelo que eu vejo, o erro está sendo tratado com muita banalidade. O árbitro não pode errar! Se errar, tem de ser punido. Alguns erros merecem uma reciclagem, um treinamento para o árbitro. Já outros merecem ser punidos! Até para que não ocorra esse tipo de erro. Fizeram uma apresentação bonita com PowerPoint neste evento, mas quando se administra o Palmeiras, não é com PowerPoint. É com atitude! Espero que a arbitragem seja conduzida de outra forma”, acrescentou.

Presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues admitiu que a arbitragem cometeu vários erros nesta temporada do futebol brasileiro. “Eu acompanho jogos, das Séries A, B, C e D. Eu assisto futebol, acompanhando tudo em todos os detalhes. Não são só vocês (dirigentes de clubes) que cobram da Comissão de Arbitragem, que cobram o Seneme. Eu também cobro”, disse o mandatário. Já o chefe da Comissão de Arbitragem, Wilson Seneme afirmou que “ocorreram erros absurdos” nas principais competições administradas pela entidade e anunciou que, na próxima semana, 95 árbitros vão receber treinamentos no Rio de Janeiro, em três sedes diferentes, em uma espécie de intertemporada para os juízes. A CBF também prometeu reduzir para 24 horas – no caso da Série A – o prazo para publicação dos vídeos com os principais lances de cada jogo. Para a Série B, o prazo será de 48 horas.