Palmeiras x Santo André: ‘Terror’ dos grandes chega ao mata-mata na base da superação

Branquinho, destaque do gigante do ABC, revela as dificuldades físicas e estruturais do time antes do confronto diante do Alviverde, válido pelas quartas de final do Paulistão

  • Por Pedro Sciola
  • 29/07/2020 07h00
Divulgação O time do Santo André está nas quartas de final do Paulistão

Palmeiras e Santo André disputarão nesta quarta-feira, 29, no Allianz Parque, a partir das 21h30 (de Brasília), uma vaga na semifinal do Campeonato Paulista 2020. Terror dos times grandes do Estado na competição, o Ramalhão chega para o mata-mata com uma equipe diferente daquela que se tornou a melhor do torneio, antes da paralisação provocada pela pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Além de perder atletas durante o período de quarentena, o time do ABC foi obrigado a deixar a sua casa, o Estádio Bruno José Daniel, que se tornou um hospital de campanha – o local também era utilizado como centro de treinamento do elenco. Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, o meia-atacante Branquinho, um dos destaques do Santo André no Estadual, comentou a dificuldade do time, que viu dez atletas deixarem o clube durante a suspensão do Paulistão – os contratos dos jogadores se encerraram e eles preferiram não renovar. “Tivemos que nos reinventar, seguimos uma cartilha proposta pela comissão técnica. A preparação física foi feita através de aulas onlines com a intenção de minimizar essa questão, já que ficamos ociosos nesse período. Além disso, perdemos jogadores importantíssimos. Tudo está sendo feito com muita superação. Tenho certeza que vamos continuar com essa campanha para se consolidar entre os melhores da competição”, comentou o número 7.

Como não pode realizar seus treinamentos no Bruno José Daniel, o Santo André passou a se concentrar no município de Vargem, interior de São Paulo, próximo a Bragança Paulista e distante 112 km da sede do clube. Lá, a diretoria acertou com um centro de treinamento da cidade, mais especificamente em um hotel voltado para clubes de futebol. Ainda assim, o gigante do ABC não conseguiu repetir o desempenho anterior ao da pausa do Paulista, somando apenas um ponto nas duas partidas disputadas nessa retomada do futebol. “Toda a dificuldade que aparece no caminho vem para que possamos superá-la. É isso que estamos mentalizando todos os dias. Nós perdemos um lastro físico, uma capacidade física e o ritmo de jogo. Isso foi o impacto maior porque estávamos muito bem entrosados, com uma equipe bem homogênea, trabalhando bastante e entendendo nossa proposta de jogo, mas sabemos que temos que superar isso o quanto antes para voltar a ser a equipe que surpreende no campeonato”, continuou Branquinho.

O Santo André é o time que menos fica com a bola no campeonato, possuindo um número baixo de passes trocados e também de finalizações. Ainda assim, a equipe do ABC está invicta diante dos considerados grandes, contabilizando uma vitória contra o São Paulo e empates diante de Corinthians e Santos, em duas partidas realizadas longe de seus domínios. Além disso, os comandados de Paulo Roberto Santos bateram o RB Bragantino, dono da melhor campanha da fase de grupos. Desta forma, de acordo com Branquinho, o grupo manterá a estratégia de priorizar a defesa e ser letal na frente para derrotar o Palmeiras e avançar no torneio.

Branquinho é um dos destaques do Santo André no Paulistão

“Devido à modernidade do futebol, todos os clubes se conhecem e sabem bem da proposta do jogo do outro. Nossa proposta é bem clara: procuramos nos defender bem e, como geralmente as equipes grandes propõem o jogo, temos uma proposta diferente que é bem executada. Assim, estamos conquistando nossos resultados positivos contra os grandes”, resumiu o jogador de 30 anos. “Esperamos seguir o que tem dado certo e tenho certeza que o professor Paulo está preparando bem a equipe. Sabemos que quanto mais informações tivermos, melhor. Esperamos estar preparados para fazer um grande jogo contra o Palmeiras”, arrematou. O Santo André tenta, ao menos, repetir a sua melhor campanha na história do Campeonato Paulista, no Estadual de 2010, quando chegou à decisão do torneio e acabou ficando com o vice-campeonato após bons jogos diante do Santos de Neymar, Ganso, Robinho e companhia.