Raphael Veiga sonha em jogar Copa de 2022 e ‘ainda não pensa’ em final da Libertadores

O meio-campista do Palmeiras comemorou a boa fase e disse que ainda não ‘jogou a toalha’ no Campeonato Brasileiro

  • Por Jovem Pan
  • 16/11/2021 11h50
JEFFERSON PEIXOTO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDORaphael Veiga carregando a bola em jogo do Palmeiras

Raphael Veiga voltou a falar sobre o sonho de ser convocado por Tite para defender a seleção brasileira na Copa do Mundo de 2022. Em alta no Palmeiras, o meio-campista ainda não ganhou chances com o treinador, mas disse que acredita em uma convocação no ano que vem. “Quem não sonha com uma convocação para uma Copa do Mundo? Sigo fazendo meu trabalho e acreditando com uma oportunidade em breve”, disse no programa “Bem Amigos”, do SporTV, reafirmando o discurso de 10 dias atrás, quando também falou da expectativa em ser lembrado. “Não sou eu que decido e vou sempre respeitar a decisão do Tite e staff. Meu foco é trabalhar pra chegar lá com os pés no chão. É gastar energia com o que eu posso resolver. Hoje, Palmeiras, cada jogo e cada treino. Quem sabe num futuro próximo”, havia dito, o jogador de 26 anos.

Em 11 dias, Veiga estará em campo para a disputa da final da Libertadores da América contra o Flamengo, no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai. O meia palmeirense, entretanto, disse que ainda não pensa no Rubro-Negro. “A gente sabe que vai ser um jogo muito difícil, jogar contra o Flamengo é sempre muito difícil. Hoje, temos feito grandes jogos (os dois times), mas a comissão (técnica) ainda não tem nos passado coisas da final, até porque a gente tem vários jogos ainda do Brasileirão”, despistou, sem esconder, contudo, que procura “assistir alguma coisinha” para ir analisando o rival. “O Flamengo, na minha opinião, tem um estilo que gosta mais de ficar com a bola, e a gente tem essa questão de variar, dependendo do jogo e daquilo que o Abel enxerga como melhor”, seguiu, antes de revelar que o foco ainda é o Brasileirão. “A diferença do Atlético-MG é muito grande, mas jogo a jogo do Brasileiro a gente tem que continuar a fazer a nossa parte, no futebol nunca se sabe o que acontece.”