Pandemia obriga Fifa a modificar regras que obrigam times a cederem jogadores às seleções

Equipes poderão escolher por não liberar jogadores para jogos em países que exijam quarentena

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2020 21h56
Pedro Martins / MoWA PressClubes não terão que ceder atletas para seleções que atuarão em países que exigem quarentena

As restrições de viagens impostas por diversos países em razão das medidas de prevenção ao coronavírus levaram o Conselho da Fifa a estabelecer uma série de exceções às normas que obrigam os clubes a cederem jogadores às seleções nacionais.

“Muitos governos nacionais voltaram a impor restrições de viagem e de imigração, porque o número de casos voltou a aumentar. Algumas dessas medidas afetam diretamente as competições internacionais, como podem ser as quarentenas, o isolamento obrigatório, as restrições de viagem”, diz a entidade em comunicado.

Os dirigentes do futebol mundial alteraram as normas, para que alguns dos times fossem liberados da obrigação diante de situações específicas. “Quando se deve cumprir um período de quarentena ou de isolamento obrigatório de, no mínimo, cinco dias, após chegar ao território de onde o clube que deva ceder o jogador à seleção tenha sede ou o destino em que esteja programado o jogo da seleção”, diz o texto.

As normas de cessão não serão aplicadas em países com restrições de viagem, bem como em situações onde as autoridades competentes resolvam não conceder exceções para que os convocados deixem seus países e retornem em sequência. O relaxamento da obrigação para os clubes serão aplicados para o período de jogos entre seleções que vai de 31 de agosto a 8 de setembro, para o futebol masculino, e de 14 a 22 de setembro, para o futebol feminino.

* Com EFE